O Significado Profético da Dispersão de Israel

Thomas Ice

Muitos que estudam as profecias estão bastante conscientes das predições cumpridas por Cristo em Sua vinda. Aqueles que estudam acontecimentos proféticos destinados ao futuro, como o Arrebatamento, a Tribulação e os muitos eventos associados a ela, a Segunda Vinda e o Reino Milenar de Cristo, são geralmente informados detalhadamente sobre tais coisas. Entretanto, freqüentemente, muitos de nós não sabemos como a profecia bíblica foi e tem sido cumprida relativamente ao curso do destino de Israel durante sua atual Dispersão entre as nações. Há profecias específicas que proporcionam uma visão geral sobre a Diáspora de Israel.

A Situação Atual de Israel

Primeiro, devo observar que a atual Dispersão de Israel entre as nações (isto é, a Diáspora) começou depois da destruição de Jerusalém pelos romanos, no ano 70 d.C. Houve outra revolta contra Roma, liderada por Simon bar Kokhba, que foi tido como o Messias judeu, de 132-136 d.C. O imperador romano Adriano desbaratou essa revolta, devastou Jerusalém totalmente e depois espalhou os judeus, no ano 135 d.C. Como resultado disso, todas as comunidades judaicas, com exceção de algumas poucas, viveram fora da terra de Israel até o início do moderno retorno à terra, que se deu nos anos 1880. Durante o tempo da Diáspora os judeus têm cumprido determinadas profecias relacionadas ao seu destino completo.

Por favor, tenham em mente que eu não sinto nenhum prazer em falar sobre essas profecias, por causa do grande amor que tenho pelo povo escolhido de Deus. Todavia, trata-se de uma parte triste do plano profetizado do Senhor para Seu povo, que fornece provas proféticas ulteriores da veracidade da Palavra de Deus.

Parece-me, nesse ponto da História, que ainda estamos vendo a maior parte de Israel na Diáspora, mas, ao mesmo tempo, também vemos a restauração, profetizada biblicamente, do povo judeu à sua terra, na incredulidade, quando Israel se tornou uma nação, em 1948 (Ez 20.33-38; Ez 22.17-22; Ez 36.22-24; Is 11.11-12; Sf 2.1-2). Assim, ainda estamos na Era da Igreja, quando a obra de Deus acontece por meio de Sua Igreja, mas, ao mesmo tempo, Ele está juntando Seu povo de volta à terra, em preparação para a ausência da Igreja e para os eventos da Tribulação que acontecerão em seguida. Portanto, a Diáspora ainda está em vigor.

As Profecias Sobre a Diáspora

O livro de Deuteronômio é o segundo em que o Senhor dá a Lei e foi projetado para servir como a constituição de Israel, pela qual deveria viver para o Senhor quando fosse para a Terra Prometida. O Senhor promete bênçãos na terra se Israel Lhe obedecer (Dt 28.1-14); entretanto, se não Lhe obedecer, o Senhor trará maldições contra a nação (Dt 28.15-68). Deuteronômio 28.58-68 registra uma seção, no final da porção que fala sobre bênção e maldição, onde é descrita a segunda Dispersão. A primeira Dispersão é vista nos versículos 49-57, que descreve “a nação” (Babilônia) que o Senhor usaria para disciplinar Israel por meio da deportação. Contudo, os versículos 58-68 descrevem a segunda Dispersão, na qual “o Senhor vos espalhará entre todos os povos” (v.64). Isto se refere claramente às invasões e dispersões que aconteceram durante o período romano. Na verdade, o versículo 68 diz: “E o Senhor te fará voltar ao Egito em navios (...); e ali sereis vendidos como escravos e escravas aos vossos inimigos; mas não haverá quem vos compre”. A Bíblia de Estudo MacArthur diz:

Mas é verdade que depois da destruição de Jerusalém em 70 d.C., que foi um castigo pela apostasia de Israel e sua rejeição e execução do Messias, essa profecia foi realmente cumprida. O general romano Tito, que conquistou Jerusalém e Israel, enviou 17.000 judeus adultos para o Egito a fim de realizarem trabalho forçado; além disso as pessoas abaixo de 17 anos de idade foram vendidas publicamente por Tito. Sob o imperador romano Adriano, um número incontável de judeus foi vendido e sofreu cativeiro e crueldade.[1]

Descrição da Diáspora de Israel

A descrição em Deuteronômio 28 expõe pontos-chave sobre os últimos 2.000 anos da história judaica:

  • Ficareis poucos em número” (v.62).
  • desarraigados sereis da terra” (v.63).
  • O Senhor vos espalhará entre todos os povos, desde uma até à outra extremidade da terra” (v.64a).
  • Servirás ali a outros deuses que não conheceste, nem tu, nem teus pais; servirás à madeira e à pedra”(v.64b).
  • Nem ainda entre estas nações descansarás” (v.65a).
  • Nem a planta de teu pé terá repouso” (v.65b).
  • porquanto o Senhor ali te dará coração tremente, olhos mortiços e desmaio de alma” (v.65c).
  • A tua vida estará suspensa como por um fio diante de ti” (v.66a).
  • terás pavor de noite e de dia” (v.66b).
  • e não crerás na tua vida” (v.66c).
  • Pela manhã dirás: Ah! Quem me dera ver a noite! E à noitinha, dirás: Ah! Quem me dera ver a manhã! Isso pelo pavor que sentirás no coração e pelo espetáculo que terás diante dos olhos” (v.67).

Estas passagens fornecem uma visão geral descritiva daquilo que seria a Dispersão global dos judeus. Infelizmente para o povo judeu, foi isso que veio a acontecer. Somos familiarizados com o Holocausto e com os muitos pogroms* que o povo judeu já sofreu durante anos. A Palavra de Deus em Deuteronômio foi dada à nação de Israel no final do período do Êxodo, justamente antes de eles entrarem na terra de Israel 3.500 anos atrás. Não há dúvida de que essa descrição profética foi dada centenas de anos antes que viesse a acontecer. Essas são as profecias que foram literalmente cumpridas e que proporcionam evidências da veracidade das Escrituras. O povo precisa ouvir quando Deus fala!

A Perspectiva de Levítico

Levítico 26 fornece outra seção de bênção e maldição relativamente à nação de Israel. O texto apresenta ciclos de bênção e de maldição. A obediência traz a bênção, e mais obediência traz mais bênção (Lv 26.1-13). Contudo, a desobediência traz a maldição, e desobediência contínua traz mais maldição, até que finalmente a nação é lançada fora da terra, como fora descrito em Deuteronômio e em muitos dos profetas de Israel.

Assim disse o Senhor: “Não os rejeitarei”.

Mesmo no caso do pior cenário possível, que foi o que aconteceu à nação de Israel, o Senhor diz: “E, demais disto também, estando eles na terra dos seus inimigos, não os rejeitarei nem me enfadarei deles, para consumi-los e invalidar a minha aliança com eles, porque eu sou o Senhor seu Deus. Antes, por amor deles me lembrarei da aliança com os seus antepassados, que tirei da terra do Egito perante os olhos dos gentios, para lhes ser por Deus. Eu sou o Senhor” (Lv 26.44-45). Esta é uma declaração direta contra aqueles na Igreja atualmente que dizem que, por causa da desobediência de Israel, o povo judeu perdeu seu chamado como povo escolhido de Deus, que ele foi deserdado e substituído de uma vez por todas pela Igreja. Não! Mil vezes não! Assim disse o Senhor: “Não os rejeitarei”. Observe que, no mesmo contexto, o Senhor disse que não quebraria Sua aliança com a nação. Portanto, a própria Bíblia diz que, se Deus deserdasse Israel e sua terra isso seria um ato de quebra de Sua aliança com o povo judeu.

Israel, Uma Terra Devastada

Outra declaração em Levítico 26 é uma promessa de que, quando Israel estiver fora da sua terra, ela se tornará uma terra desértica. “E assolarei a terra e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem. E espalhar-vos-ei entre as nações, e desembainharei a espada atrás de vós; e a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas” (Lv 26.32-33). Logicamente que isso é o que aconteceu com exatidão durante a maior parte da Diáspora.

Diz-se que em 1882 havia apenas 24.000 pessoas em toda a terra de Israel, quando começou o primeiro movimento de retorno dos judeus à sua terra.[2] Mark Twain escreveu sobre suas viagens por todo o Israel em 1868, em The Innocents Abroad (Os Inocentes no Exterior). Ele falou sobre como a terra era vazia; e que nela viajou durante três dias e nunca viu nenhuma pessoa.

Parece que Deus basicamente guardou a terra de Israel para que outros não viessem e morassem ali enquanto os judeus estavam fora de sua Terra Prometida. Mas, quando os judeus começaram a retornar, eles foram capazes de transformá-la na porção de terra produtiva que ela se tornou nos dias de hoje. Este é o cumprimento, em nossos dias, da profecia bíblica. Quando os judeus vieram pela primeira vez à terra 3.500 anos atrás, dizia-se que aquela era uma terra que manava leite e mel. Entretanto, quando eles estiveram fora dela, os outros nunca encontraram nada ali a não ser uma terra devastada e desértica. Como a Bíblia predisse, aquele lugar somente prosperaria quando os judeus estivessem lá.

Simples Verdade

Conclusão

Vemos que Deus está cumprindo e continuando a cumprir a profecia bíblica através de Suas predições sobre o que aconteceria ao povo judeu quando estivesse espalhado por todo o mundo, durante o que chamamos de Diáspora. A maioria do povo judeu ainda está fora da terra de Israel, vivendo na Diáspora. Embora o retorno de Israel à sua terra esteja em andamento, assim também está a Diáspora. Estamos vivendo em tempos de transição, nos quais a Diáspora está em processo de conclusão e o retorno do povo judeu está num crescendo, em preparação para os acontecimentos profetizados sobre a Tribulação, que culminará na conversão da nação de Israel e na Segunda Vinda de Cristo. Até mesmo hoje, vemos as Escrituras proféticas de Deus se movendo para a frente. Isto deveria fazer com que vivêssemos para Ele, que pregássemos o Evangelho, enquanto aguardamos pelo retorno dEle para Sua Igreja. Você está pronto? Maranata! (Thomas Ice — Pre-Trib Perspectives — Chamada.com.br)

Notas:

  1. John MacArthur, Bíblia de Estudo MacArthur (Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2010), p. 269, disponível em nosso site www.chamada.com.br.
  2. Charles L. Feinberg, Israel At the Center of History and Revelation (Israel no Centro da História e da Revelação) (Chicago: Moody Press, 3ª edição, 1980), p. 164.

Thomas Ice é diretor-executivo do Pre-Trib Research Center (Centro de Pesquisas Pré-Tribulacionistas) e professor de Teologia na Liberty University. Ele é Th.M. pelo Seminário Teológico de Dallas e Ph.D. pelo Seminário Teológico Tyndale. Editor da Bíblia de Estudo Profética e autor de aproximadamente 30 livros, Thomas Ice é também um renomado conferencista. Ele e sua esposa Janice vivem com os três filhos em Lynchburg, Virginia (EUA).

Thomas Ice será um dos preletores do 20º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética — 24 a 27 de Outubro de 2018 | Águas de Lindóia | SP
Participe desse evento que terá o tema «A Fidelidade de Deus» Inscreva-se

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança