Estou apaixonada - mas será que ele é a pessoa certa?

Sa­muel Rin­dlis­ba­cher

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Per­gun­ta: “Te­nho 17 anos, creio em Je­sus e me apai­xo­nei por um ra­paz. Mas co­mo pos­so sa­ber se ele é o ho­mem cer­to pa­ra mim?”

Res­pos­ta: O que vou res­pon­der não va­le ape­nas pa­ra vo­cê ou pa­ra ou­tras ga­ro­tas cris­tãs, mas tam­bém pa­ra ra­pa­zes cren­tes. O amor e a pai­xão são ma­ra­vi­lho­sos, ter um com­pa­nhei­ro ou com­pa­nhei­ra é um pre­sen­te di­vi­no, pois a Bí­blia diz: “Não é bom que o ho­mem es­te­ja só; far-lhe-ei uma au­xi­lia­do­ra que lhe se­ja idô­nea” (Gn 2.18). Mas jus­ta­men­te os jo­vens de­ve­riam con­si­de­rar al­gu­mas coi­sas an­tes de co­me­çar um re­la­cio­na­men­to, uma vez que vi­ve­mos em um tem­po que des­va­lo­ri­za com­ple­ta­men­te os pa­drões di­vi­nos, es­pe­cial­men­te quan­to ao re­la­cio­na­men­to en­tre os se­xos. O amor pla­ne­ja­do por Deus abran­ge o ser hu­ma­no por in­tei­ro: seu cor­po, sua al­ma e seu es­pí­ri­to. O sen­ti­men­to da pai­xão é co­mo uma bor­bo­le­ta: vai de flor em flor mas não pro­duz mel. Amor ver­da­dei­ro, po­rém, é a con­ti­nua­ção da pai­xão. O amor é a pai­xão sen­do pro­va­da e ava­lia­da. Se es­sa pro­va é ven­ci­da, o amor cres­ce­rá con­ti­nua­men­te.

Al­gu­mas di­cas: Por que vo­cê sen­te um frio na bar­ri­ga quan­do es­tá apai­xo­na­da? Só por­que ele a olha de ma­nei­ra es­pe­cial? Por­que ele é bo­ni­to? Ele sa­be fa­lar bem? Ele é sim­ples­men­te sim­pá­ti­co? Is­so não quer di­zer na­da! Ou­tros ra­pa­zes já fa­la­ram coi­sas bo­ni­tas e man­da­ram pre­sen­tes es­pe­ciais an­tes de­le, e vo­cê não se co­mo­veu. Mas, por que ele faz is­so? Ele só quer uma na­mo­ra­da por­que os ou­tros tam­bém têm uma? Ou se­rá que ele a quer por­que vo­cê é vo­cê?

Sen­ti­men­tos são uma coi­sa ma­ra­vi­lho­sa, mas po­de­mos ser fa­cil­men­te en­ga­na­dos por eles! Um dia te­mos sen­ti­men­tos for­tes, no ou­tro eles fo­ram em­bo­ra. Se es­tá bem, vo­cê se sen­te bem. Se não es­tá bem, seu bom hu­mor aca­ba. O amor – amor ver­da­dei­ro, du­ra­dou­ro – só po­de nas­cer e cres­cer on­de há co­nhe­ci­men­to. Vo­cê pre­ci­sa co­nhe­cer es­sa pes­soa, sa­ber quem ela é, co­mo é es­se al­guém por quem vo­cê es­tá apai­xo­na­da, qual é seu ca­rá­ter, quais são suas fra­que­zas e seus pon­tos for­tes. Is­so es­tá acon­te­cen­do, ou são seus sen­ti­men­tos e suas emo­ções que co­man­dam suas ati­tu­des? Se os seus sen­ti­men­tos to­mam a dian­tei­ra, vo­cê fa­cil­men­te ima­gi­na­rá fan­ta­sias, que se es­vai­rão co­mo uma bo­lha de sa­bão que se ar­re­ben­ta no ar.

Es­se co­nhe­ci­men­to da pes­soa ama­da in­clui al­gu­mas ques­tões es­pi­ri­tuais: ela ama a Je­sus com fer­vor? Ela ama mis­sões? Ela se an­gus­tia por ver mi­lhões de pes­soas se per­den­do sem Je­sus? As res­pos­tas prá­ti­cas a es­sas per­gun­tas se­rão en­con­tra­das ob­ser­van­do seu com­por­ta­men­to na igre­ja. Ela par­ti­ci­pa das reu­niões? Ela faz uso de seus dons, por exem­plo, na Es­co­la Do­mi­ni­cal, com os ju­nio­res ou no gru­po de jo­vens? Ou ela se preo­cu­pa mais com even­tos fo­ra da igre­ja? Abra seus olhos, ob­ser­ve, não si­ga ape­nas seu co­ra­ção, nem dei­xe de la­do a ra­zão! Quan­do al­guém não es­ta­be­le­ce suas prio­ri­da­des es­pi­ri­tuais an­tes de co­me­çar um re­la­cio­na­men­to, cer­ta­men­te não o fa­rá de­pois!

Mais um pon­to im­por­tan­te é a ques­tão ma­te­rial: ca­sa­men­to, en­xo­val, alu­guel, rou­pas, etc., tu­do is­so cus­ta mui­to di­nhei­ro! Por is­so, não se apai­xo­ne por um pre­gui­ço­so, que se acha bom de­mais pa­ra al­gum tra­ba­lho que su­je as mãos. Os pro­ble­mas cer­ta­men­te vi­rão se vo­cê se en­vol­ver com al­guém que não gos­ta de tra­ba­lhar. A Bí­blia é mui­to ra­di­cal nes­se sen­ti­do: “...se al­guém não quer tra­ba­lhar, tam­bém não co­ma” (2 Ts 3.10)!

Assinante Plus

Fi­na­li­zan­do: bus­que con­se­lho com ir­mãos ma­du­ros, com cris­tãos es­pi­ri­tuais, que vo­cê co­nhe­ce e dos quais sa­be que vi­vem fiel­men­te com o Se­nhor. Eles vêem as coi­sas de ma­nei­ra mui­to mais só­bria e ob­je­ti­va e po­de­rão dar-lhe orien­ta­ções sá­bias.

Po­rém, a ques­tão mais im­por­tan­te é: qual a von­ta­de de Deus pa­ra sua vi­da? Ore pe­la di­re­ção do Se­nhor, nes­te e em to­dos os as­sun­tos re­la­ti­vos ao seu fu­tu­ro! Cla­me a Ele, tra­ga dian­te dE­le to­das as suas dú­vi­das e ques­tio­na­men­tos, pro­ble­mas e preo­cu­pa­ções. En­tão es­pe­re por Sua res­pos­ta! Pois o jo­vem que Deus tem pre­pa­ra­do pa­ra vo­cê não vai fu­gir. Ele po­de es­pe­rar por vo­cê, as­sim co­mo vo­cê po­de es­pe­rar por ele, ain­da mais que vo­cê é tão jo­vem. Não te­nha pres­sa.

Re­pi­to: o que aca­bei de di­zer é vá­li­do pa­ra ra­pa­zes e pa­ra mo­ças. Mas os ra­pa­zes tam­bém de­ve­riam ob­ser­var com re­la­ção à ques­tão fi­nan­cei­ra: ela é es­ban­ja­do­ra ou sa­be eco­no­mi­zar? Ela se preo­cu­pa com o que é im­por­tan­te ou só pen­sa em mo­da, di­ver­são e la­zer? Se­rá que ela é a mu­lher que eu que­ro co­mo mãe pa­ra meus fi­lhos? Va­le a pe­na pen­sar nes­sas ques­tões! (Sa­muel Rin­dlis­ba­cher)

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Itens relacionados na livraria

Leia também

Longevidade Humana: Longa, Breve e Futura?
Longevidade Humana: Longa, Breve e Futura?
Wilfred Hahn
Adultério: Crente Não Cai Nesse Pecado
Adultério: Crente Não Cai Nesse Pecado
Haroldo Reimer
A Bíblia, o Casamento e a Sexualidade
A Bíblia, o Casamento e a Sexualidade
Ron J. Bigalke
Cobra no Gramado!
Cobra no Gramado!
Lorna Simcox
Independência, Dependência ou Interdependência
Independência, Dependência ou Interdependência
Daniel Lima
Como influenciar os filhos
Como influenciar os filhos
Sidney Machado
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

O Reino Vindouro

R$59,90

Como foi nos dias de Noé

R$31,90

1 e 2Tessalonicenses

R$34,90

Provérbios

R$32,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes