Vivendo sem tempo

Daniel Lima

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

A relação de nossa sociedade com o tempo é muito curiosa. Vivemos em um corre-corre sem fim durante a semana, para poder curtir um tempo de descanso no final de semana. Na prática cultuamos o ativismo, embora nosso discurso seja de aproveitar o tempo. Investimos anos em cursos, formação e trabalho, perseguindo um sonho ilusório de um tempo de qualidade no final da vida.

Gerações têm conceitos diferentes sobre aproveitar o tempo. O grupo etário conhecido como geração Y (nascidos entre 1980 a 2000), tão criticado por sua falta de compromisso e dedicação, talvez tenha uma relação mais saudável com o tempo. Parece-me que não tem tanta pressa em chegar e mais atenção ao caminhar. Confesso que, legítimo herdeiro de minha geração, tenho de lidar com uma impressão de que às vezes eles desperdiçam tempo...

Afinal, como aproveitar o tempo, o que a Bíblia nos fala sobre o tempo? Eclesiastes nos diz que há tempo para todo propósito debaixo do céu (Eclesiastes 3.1); no entanto, é no verso 11 deste capítulo que Salomão introduz um conceito que deveria nortear nosso pensamento sobre o tempo: “Ele fez tudo apropriado ao seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim ele não consegue compreender inteiramente o que Deus fez”.

Nosso anseio é pelo eterno: não nos satisfazemos com o agora, mas ansiamos pelo tempo que não tem fim.

Por um lado, o autor afirma que Deus tem um tempo para cada coisa. Isso deveria nos dar a tranquilidade de que nem tudo precisa acontecer agora... Hoje em dia, o imediatismo imaturo parece se estender pela idade adulta. Ao invés de esperarmos o momento certo para as coisas, queremos tudo já e tomamos decisões que prejudicam o resultado final.

No entanto, a expressão seguinte – “pôs no coração do homem o anseio pela eternidade” – é extremamente reveladora. Somos ao mesmo tempo presos ao imediato e ligados ao eterno. Presos ao imediato, pois o passado não volta mais e o futuro ainda não chegou. Contudo, nosso anseio é pelo eterno: não nos satisfazemos com o agora, mas ansiamos pelo tempo que não tem fim. Este trecho do livro de Eclesiastes nos oferece uma indicação de como devemos encarar o tempo. Por um lado, aproveitando cada período, por outro entendendo que somos eternos. É também reveladora a expressão final do verso, que afirma que não compreendemos por completo os propósitos de Deus.

Assinante Plus

A passagem de Efésios 5.15-16 não apenas apoia, mas expande a ideia de aproveitar o tempo:

15Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, 16aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus.

A exortação é para vivermos como sábios, o que significa ter discernimento, não viver sem pensar. Ao explicar o sentido da exortação, Paulo inclui aproveitar o “tempo”. O termo usado como tempo aqui é kairós, que tem sido traduzido corretamente como oportunidade. Este termo se difere de kronos, que significa tempo sequencial.

Paulo certamente conhecia a exortação de Provérbios de que “o temor do Senhor é o princípio da sabedoria” (Provérbios 9.10a). Por isso entendemos que, ao enfatizar que fossemos sábios aproveitando o tempo, ele não queria dizer aproveitar o tempo de modo irresponsável ou sem pensar nas consequências. Assim, Paulo nos exorta a aproveitar o momento, as oportunidades que se apresentam, mas com sabedoria. Isso significa aproveitar o momento com uma perspectiva eterna.

Deixe-me resumir em algumas dicas:

  • Eternidade – somos seres eternos. Isso significa que os momentos de sofrimento ou alegria que passamos devem ser entendidos dentro de uma perspectiva da eternidade. (Romanos 8.18).

  • Consequência – nossas decisões têm um impacto enorme. Algumas decisões afetam nossa eternidade, mas todas vão impactar nossa vida (Gálatas 6.7).

  • Oportunidade – Deus nos dá algumas oportunidades que são como portas que se abrem e fecham. Devemos ser sábios ao fazer escolhas quanto ao uso do tempo que nos é dado.

  • Desfecho – cremos em um tempo que é linear e não cíclico, ou seja, caminhamos rumo a um desfecho da história, quando estaremos para sempre com Cristo ou longe dele (1Tessalonicenses 4.17).

  • Perspectiva – comparada com a eternidade, nossas vidas são como um breve suspiro. Vamos investir este tempo naquilo que é eterno e não em coisas passageiras.

Minha oração é que você e eu sejamos sábios ao vivermos nossas vidas. Que o tempo seja um recurso dado por Deus e não um tirano que nos desgasta. Viva cada momento com discernimento, buscando como causar o maior impacto para a eternidade.

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Daniel Lima foi pastor de igreja local por mais de 25 anos. Formado em psicologia, mestre em educação cristã e doutor em formação de líderes no Fuller Theological Seminary, EUA. Daniel foi diretor acadêmico do Seminário Bíblico Palavra da Vida por 5 anos, é autor, preletor e tem exercido um ministério na formação e mentoreamento de pastores. Casado com Ana Paula há mais de 30 anos, tem 4 filhos, uma neta e vive no Rio Grande do Sul desde 1995.

Veja artigos do autor

Leia também

Vitória em Jesus
Vitória em Jesus
William L. Krewson
Para que Sua Vida Não Desmorone
Para que Sua Vida Não Desmorone
Norbert Lieth
Somos Importantes Para Deus?
Somos Importantes Para Deus?
Rolf Höneisen
Deus não Rejeita a Quem O Invoca
Deus não Rejeita a Quem O Invoca
Norbert Lieth
Mantendo um ritmo devocional em um mundo alucinado
Mantendo um ritmo devocional em um mundo alucinado
Daniel Lima
Jesus é Suficiente
Jesus é Suficiente
William MacDonald
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

Provérbios

R$32,90

1 e 2Tessalonicenses

R$34,90

Como foi nos dias de Noé

R$31,90

O Reino Vindouro

R$59,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes