Um olhar para o novo ano

Dieter Steiger

Compartilhe: 

O novo ano nos desafia a viver conscientemente à luz da eternidade, sem permitir que qualquer coisa desvie nosso foco.

Está diante de nós um novo ano, com todos os seus desafios, inseguranças e questionamentos. Para muitos ele parece uma imensa e ameaçadora montanha que impede a visão e produz uma sensação de medo. Para outros, o ano novo mais parece um mar revolto que ameaça fazer naufragar o navio das suas vidas. Sentimo-nos pequenos e impotentes diante dos eventos que se abatem sobre nós. Como filhos de Deus, deveríamos nos lembrar das promessas de nosso Pai celestial, deveríamos trazê-las à nossa mente todos os dias, nos apoiando e confiando nelas, como já dizia Davi: “... tu és o Deus da minha salvação, em quem espero todo o dia” (Salmo 25.5). Ainda jovem, Davi já experimentara a ajuda de seu Deus em sua luta contra o filisteu Golias. Já havia usufruído dessa mesma ajuda quando defendeu seu rebanho dos ataques de um leão e de um urso. Mais tarde, falou da ajuda divina em sua vida nos salmos que compôs, contando do auxílio divino nos longos anos de perseguição que enfrentou da parte do rei Saul.

Os golias, leões e ursos que nós enfrentamos têm outros nomes. Talvez se chamem enfermidade, desemprego, problemas familiares ou conjugais, apertos financeiros, conflitos nas relações, vizinhos complicados ou colegas irritantes que nos tiram a paz. Davi não esperou ajuda de homens, não confiou em sua armadura ou em sua experiência; ele só confiava no Deus de Israel! Os ídolos não ajudam, nem os talismãs pendurados no carro, muito menos a cartomante ou o horóscopo, ou qualquer outra fonte de sorte que o mundo usa para amenizar as pressões da vida. Quantas coisas as pessoas fazem para ter sorte no novo ano! E como somos afortunados, nós, que seguimos ao Senhor Jesus Cristo! Temos um Pai nos céus, um Deus que ajuda, que se preocupa com seus filhos, que cuida deles e certamente estará com cada um deles neste novo ano! Por saber desse Deus cuidador, Davi testemunhou que esperava nele diariamente! Diante de nós estão mais 365 dias, e a cada novo amanhecer podemos contar com a ajuda do Senhor!

Em 1965, quando viajamos ao Brasil pela primeira vez, partindo de navio do porto italiano de Gênova para Santos, minha esposa e eu nos apoiamos nas promessas de Deus, especialmente nesse mesmo salmo de Davi: “Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher” (verso 12). Os salmos falam muitas vezes em instruir, ensinar, mostrar, conduzir. Como Davi, deveríamos orar repetidamente: “Ensina-me, Senhor!”. Especialmente no limiar de um novo ano podemos esperar que nosso Senhor nos instrua e dirija nossas escolhas.

Diante de nós estão mais 365 dias, e a cada novo amanhecer podemos contar com a ajuda do Senhor!

Podemos aprender mais uma coisa de Davi: como ele experimentava, na prática, a direção do Senhor. No mesmo salmo ele diz: “Os meus olhos estão sempre voltados para o Senhor, pois só ele tira os meus pés da armadilha” (verso 15). Por experiência própria sabemos como é fácil desviar nosso olhar do Senhor e como é fácil olhar para outras coisas. Mas estou bem ciente de que é fundamental manter meus olhos sempre firmes e fixos unicamente no meu Senhor, apesar de ser mais fácil falar do que fazer. O apóstolo Paulo escreveu em 2Coríntios 4.18: “Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno”. O mundo visível que nos cerca é temporal e passageiro, e somos lembrados disso com muita frequência. Por isso, o novo ano nos desafia a viver conscientemente à luz da eternidade, orientados pelo alvo, dirigidos pelas promessas e fortalecidos diante dos problemas momentâneos, sem permitir que qualquer coisa desvie nosso foco, sempre contando com a presença do Senhor, que é mais do que suficiente.

Feliz Ano Novo!

Compartilhe: 

Dieter Steiger nasceu na Alemanha e se formou em teologia pelo Seminário Bíblico de Beatenberg, Suíça. Em 1965, ele e sua esposa, Helga, deixaram a Europa como missionários em direção ao Brasil. Foi diretor e professor da Escola Bíblica da Chamada da Meia-Noite em Montevidéu, Uruguai, e também serviu por muitos anos como presidente da Chamada da Meia-Noite no Brasil, a qual fundou. Em 2016, porém, voltou para a sua terra natal, onde aguarda ansiosamente a volta do Senhor Jesus Cristo.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança