Podemos adaptar a Bíblia aos nossos gostos?

Bobby Conway

Compartilhe: 

“Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei e a ela obedeça de todo o coração” (Salmo 119.34).

Com relação à Bíblia, vivemos em uma cultura de buffet, onde as pessoas selecionam e escolhem o que gostam e desconsideram o que desgostam. No entanto, não podemos mastigar a carne e jogar fora os ossos quando se trata da Palavra de Deus. Não temos o direito de evitar ou mudar alguma coisa para encaixá-la nos nossos gostos.

Se você lê a Bíblia há mais tempo, certamente já se deparou com uma passagem que foi difícil de digerir. Pode ter sido uma passagem sobre o pecado, arrependimento, condenação, sofrimento, ira ou mesmo sobre o inferno. Aqui está a chave: se no fundo do nosso coração tivermos um desgosto por algo da Palavra de Deus, tal como a doutrina do pecado, não temos o direito de modificar a Bíblia para torná-lo mais digerível. Nosso dever é o de nos alinharmos com a Palavra de Deus, e não alinhá-la às nossas preferências. Nossa obrigação é perguntar: “O que diz a Bíblia?”, e não: “O que eu quero dizer?”.

Nosso dever é o de nos alinharmos com a Palavra de Deus, e não alinhá-la às nossas preferências.

Quando algo na Palavra de Deus não é nada saboroso para nós, precisamos compreender que o problema somos nós, não Deus. Nossa responsabilidade não é a de modificar a Deus (ele é imutável) ou criar um Deus de acordo com a nossa imaginação, mas examinar nosso coração para descobrir o porquê de estarmos resistindo à sua Palavra. Quando nossas emoções entram em conflito com a verdade teológica, precisamos resistir à tentação de diluir as Escrituras para acalmar nossas emoções. Ao invés disso, precisamos ver nisso algo ligado à santificação e nos perguntar: “Por que as minhas emoções resistem a essa verdade teológica?”.

A resposta muitas vezes será bastante reveladora.

Na próxima vez em que você lutar para aceitar uma porção da Escritura, pergunte a si mesmo: “Lá no fundo, eu tenho dificuldades com a justiça de Deus? Eu perdi a visão da incompreensível santidade de Deus? Fiquei cego para a profundidade da minha própria depravação? Eu creio que Deus é simultaneamente justo e amoroso?”.

Lembre-se de que são as porções difíceis que muitas vezes revelam os problemas do nosso coração. Muitas vezes as coisas contra as quais mais lutamos são as que revelam as falhas de caráter escondidas que combatemos mais intensamente. Por fim, o que importa é confiar. Confiamos na natureza de Deus e cremos que ele é bom? Se for assim, isso poderá nos ajudar a passarmos confiadamente pelas porções não tão saborosas das Escrituras.

Publicado com permissão do ministério The One Minute Apologist (disponível em: https://oneminuteapologist.com/can-we-adapt-the-bible-to-our-tastes/).

Compartilhe: 

Bobby Conway é o fundador e apresentador do ministério One Minute Apologist, especializado em fornecer respostas rápidas e fundamentadas sobre a defesa da fé cristã. É mestre em teologia pelo Dallas Theological Seminary e doutor pelo Southern Evangelical Seminary na área de apologética. Casado com Heather, tem 2 filhos e vive no sul da Califórnia, onde leciona no Calvary Chapel Bible College. Autor do livro Duvidando em Direção à Fé, publicado no Brasil pela Chamada.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança