Pérgamo e Esmirna, Turquia (Segunda-feira, 29 de maio)

Daniel Lima

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

No dia anterior, entramos na Turquia, país novo, guia novo, idioma novo. Turquia é um país relativamente novo (formado em 1923), muito embora a tradição turca seja de muitos séculos. Este foi um país que teve origem leiga, em resistência ao Império Otomano que era declaradamente muçulmano. No entanto, nos últimos anos, o governo tem se aproximado gradativamente da irmandade muçulmana e o impacto do islamismo tem se manifestado mais e mais.

Passamos a última noite já em território turco na cidade de Çanakale, na região de Trôade, de onde Paulo navegou para a Macedônia (Atos 16.8-10). Nosso primeiro destino nessa segunda-feira foi as ruínas de Pérgamo. Esta é a terceira das sete igrejas a receber uma mensagem direta do Senhor Jesus. Há muita discussão sobre como interpretar essas sete cartas. Alguns têm defendido que elas se referem a períodos na história da igreja. Outros, como eu, entendem que elas eram não só igrejas reais, mas também que as características de cada uma se encontram hoje entre nós. Assim, a exortação que receberam podem muito bem ser úteis para nós hoje. Segundo o dr. Meno Kalisher, pastor judeu messiânico em Jerusalém, essas sete cartas podem servir como um padrão de avaliação para todas as igrejas em todo tempo.

Assinante Plus

O sítio arqueológico de Pérgamo é bastante preservado e nos oferece muitas lições. Por exemplo, na carta a Pérgamo (Apocalipse 2.12-17), Jesus afirma: “Sei onde você vive – onde está o trono de Satanás”. O trono de Satanás se refere a um altar especialmente dedicado a Zeus. Esse altar foi removido por arqueólogos alemães e se encontra hoje exposto no museu de Berlim. Esta era realmente uma cidade culta e profundamente idólatra. Mas a exortação de Jesus não se refere à idolatria aberta, pois a igreja havia resistido a ela. A exortação de Jesus para essa igreja se refere à tolerância. Eles estavam permitindo que ensinos e práticas imorais entrassem na igreja. Repare que a exortação é dura no versículo 16: “Portanto, arrependa-se! Se não, virei em breve até você e lutarei contra eles com a espada da minha boca”. 

A exortação de Jesus para [Pérgamo] se refere à tolerância. Eles estavam permitindo que ensinos e práticas imorais entrassem na igreja.

Ainda pensando na aplicação dessa exortação em nossas vidas e igrejas, seguimos até a cidade de Esmirna. Este é o local da igreja que recebeu a segunda carta (Apocalipse 2.8-11). Esmirna, juntamente com Filadelfia, não recebem nenhuma exortação, mas apenas encorajamento. Assim como toda essa região, Esmirna esteve sob domínio muçulmano por muitos anos. Dessa forma, a perseguição ali foi intensa e há poucos vestígios de sítios arqueológicos. No entanto, segundo nosso guia (muçulmano) é o local onde existe o maior número de igrejas naquele país. Essa realidade me lembrou das palavras de Jesus para aqueles irmãos no versículo 10: “Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. O Diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida”. Essa é uma igreja que sofreu e ainda sofre. Foi nessa cidade que um de seus mais famosos líderes, Policarpo, discípulo direto do apóstolo João, foi queimado vivo em 155 d.C. No entanto, sua fidelidade parece estar frutificando em uma presença cristã em um país hostil ao cristianismo.

Duas igrejas, duas situações, duas exortações. Diante da oposição, uma (Pérgamo) resiste, mas começa a se tornar complacente, permitindo que ensinos e práticas contaminem seu testemunho. Outra resiste diante da oposição e deixa um testemunho de fidelidade.

Minha oração é que nossas igrejas, nossas famílias e nós copiemos o exemplo de Esmirna. Caso nosso Senhor não retorne em breve, que no futuro possam dizer de nós que fomos fiéis até a morte!

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Daniel Lima (D.Min., Fuller Theological Seminary) serviu como pastor em igrejas locais por mais de 25 anos. Também formado em psicologia com mestrado em educação cristã, Daniel foi diretor acadêmico do Seminário Bíblico Palavra da Vida (SBPV) por cinco anos. É autor, preletor e tem exercido um ministério na formação e mentoreamento de pastores. Casado com Ana Paula há mais de 30 anos, tem quatro filhos, dois netos e vive no Rio Grande do Sul desde 1995. Ele estará presente no 25º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

Jerusalém, Israel (Terça-feira, 06 de junho)
Jerusalém, Israel (Terça-feira, 06 de junho)
Daniel Lima
Deserto da Judeia, Israel (Quinta-feira, 08 de junho)
Deserto da Judeia, Israel (Quinta-feira, 08 de junho)
Daniel Lima
Éfeso, Turquia (Quarta-feira, 31 de maio)
Éfeso, Turquia (Quarta-feira, 31 de maio)
Daniel Lima
Galileia (Domingo, 11 de junho)
Galileia (Domingo, 11 de junho)
Daniel Lima
Islã Significa Submissão
Islã Significa Submissão
Como reagir ao conflito em Israel?
Como reagir ao conflito em Israel?
Daniel Lima
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

A Cronologia do Fim dos Tempos

R$43,90

Manual de Escatologia Chamada

R$79,90

Atos

R$119,90

Liderando Mulheres em Conflito

R$39,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes