O Plano de Deus em Belém

Nathanael Winkler

Compartilhe: 

As primeiras pessoas foram seduzidas pelo Diabo e separadas de Deus com uma artimanha. Desde então, o veneno do pecado contamina a geração humana. Assim, as pessoas não conseguem permanecer diante de Deus porque o pecado não pode permanecer diante dele. Deus, contudo, não permanece passivo, mas reage. Ele amou as pessoas de tal maneira que preparou uma alternativa. Deus disse ao Diabo: “Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este ferirá a sua cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar” (Gênesis 3.15).

Isso significava que alguém viria e destroçaria a cabeça da serpente. A “antiga serpente” é o “Diabo ou Satanás, que engana o mundo todo” (Apocalipse 12.9). A Semente vindoura venceria o Diabo; este até causaria feridas à Semente, mas seria incapaz de evitar a sua própria destruição.

A semente da mulher é a semente de Abraão (Gênesis 12.3; ver 22.18). Através da descendência de Abraão surgiria o Salvador, que seria especificamente da tribo de Judá: “O cetro não se apartará de Judá, nem o bastão de comando de seus descendentes, até que venha aquele a quem ele pertence, e a ele as nações obedecerão” (Gênesis 49.10).

A identidade de Judá e o seu direito ao governo não poderiam desaparecer até que viesse aquele que teria pleno direito ao cetro, a total reivindicação ao trono.

Assim, Gênesis 49.10 nos ensina: (1) a semente da mulher e a semente de Abraão se referem especificamente à tribo de Judá; (2) a semente será um Rei; e, (3) visto historicamente, a Semente deve ter chegado antes de 70 d.C., pois naquele ano, com a conquista e destruição de Jerusalém, a tribo de Judá perdeu seu significado especial e sua identidade.

Deus disse ao rei judaico Davi:

12Quando a sua vida chegar ao fim e você descansar com os seus antepassados, escolherei um dos seus filhos para sucedê-lo, um fruto do seu próprio corpo, e eu estabelecerei o reino dele. 13Será ele quem construirá um templo em honra ao meu nome, e eu firmarei o trono dele para sempre. 14Eu serei seu pai, e ele será meu filho. Quando ele cometer algum erro, eu o punirei com o castigo dos homens, com açoites aplicados por homens. 15Mas nunca retirarei dele o meu amor, como retirei de Saul, a quem tirei do seu caminho. 16Quanto a você, sua dinastia e seu reino permanecerão para sempre diante de mim; o seu trono será estabelecido para sempre. (2Samuel 7.12-16)

O rei Davi recebeu a promessa de que o reinado de sua casa duraria eternamente (ver Jeremias 33.15-17). “... e o meu servo Davi será o seu líder para sempre” (Ezequiel 37.25). O Filho de Davi, da linhagem de Judá, deve ser Rei para sempre (ver Mateus 12.23).

Série "A Esperança de Belém"

  1. A Esperança de Belém
  2. O Plano de Deus em Belém
  3. O Papel de Belém
  4. O Salvador vindo de Belém
  5. Tudo é Diferente em Belém

Compartilhe: 

Nathanael Winkler nasceu em Israel e é membro da diretoria da Chamada da Meia-Noite na Suíça. Casado com Rebecca, tem 3 filhos. Completou seus estudos teológicos no Centro Europeu de Treinamento Bíblico (EBTC), onde também leciona. É convidado para pregar em diversas igrejas. Ele estará presente no 22º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança