O Deus do Antigo Testamento é o mesmo do Novo Testamento?

Bobby Conway

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Contudo, o Senhor espera o momento de ser bondoso com vocês; ele ainda se levantará para mostrar-lhes compaixão. Pois o Senhor é Deus de justiça. Como são felizes todos os que nele esperam! (Isaías 30.18)

Muitas pessoas assumem erroneamente que o Deus do Novo Testamento difere do Deus do Antigo Testamento. Eles o fazem porque acham que o Deus do Antigo Testamento é um rabugento temperamental e volátil, enquanto consideram o Deus do Novo Testamento como um doce pai sem regras, gracioso e glorificado. É assim que a Bíblia apresenta um embate entre os Deuses? O Deus benevolente total do Novo Testamento contra o Deus malevolente total do Antigo Testamento?

A resposta resumida é “não”. Enquanto consigo ver como as pessoas chegam a tal conclusão com um olhar simples para as Escrituras, não consigo ver como a afirmação se mantém sob um olhar firme. Para o estudante neófito da Bíblia, é possível; para o estudioso honesto da Bíblia, inconcebível. Mesmo um recém devoto pode ver um retrato consistente do único verdadeiro Deus.

Mediante uma inspeção mais aproximada das Escrituras fica evidente que Deus é gracioso e justo e que ambas as qualidades estão descritas tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento. Admito que alguém talvez veja a evidência da graça de Deus mais distintamente no Novo Testamento, onde sua graça é cravada na cruz por meio da morte expiatória de Jesus, mas isso não significa que o Deus do Antigo Testamento era desprovido de graça.

Nem um pouco.

Vamos considerar um pouco da ampla evidência.

Desde o primeiro livro da Bíblia, a graça de Deus foi rapidamente aplicada com a finalidade de cobrir o primeiro pecado humano (Gênesis 3.21). Além disso, enquanto seguimos em nossa caminhada através do Antigo Testamento, a graça de Deus continua aparecendo. Por exemplo, tomemos os profetas. Esses chamados “profetas de juízo” também eram “mensageiros da graça”. Pense no seguinte. Deus não era obrigado a emitir um alerta para aqueles que estavam em rebelião aberta contra ele. Uma sirene. Um chamado de alerta. O próprio fato de serem alertados repetidamente é um verdadeiro sinal do amor de Deus e da vontade em derramar sua graça sobre o seu povo.

Além disso, sua graça não é limitada. Não, ela é sem limites. Sua graça possui tentáculos de amplo e longo alcance. Considere os ninivitas. O profeta Jonas sabia muito bem que Deus é gracioso, tanto que ele estava ressentido por isso. Ele inclusive fugiu de Deus tentando evitar ser o mensageiro dele. Após Deus ter derramado sua graça e misericórdia sobre os ninivitas, Jonas orou: “Senhor, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Társis. Eu sabia que tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar mas depois te arrependes” (Jonas 4.2).

Assinatura Digital

Assim como a graça incondicional de Deus é vista no Antigo Testamento, assim também sua santa justiça está onipresente no Novo Testamento. Leia Romanos 1–3 e então tente dizer que “Deus não é justo!”. Ou considere a história em que Jesus purifica o templo (Marcos 11.15-17). Ali vemos a justa ira de Deus em carne e osso. Além disso, consideremos o quanto Jesus falou sobre juízo (Mateus 13.36-43,47-50; 25.41-46; Lucas 12.4-5; 16.19-31). É algo espetacular. E para cobrir tudo isso, simplesmente leiamos o livro de Apocalipse e veremos rapidamente que Deus é um Deus justo (Apocalipse 20.11-15).

Após uma inspeção mais detalhada, fica claro que a Bíblia não retrata um deus de duas cabeças, bipolar e que sofre de crise de identidade, nem o Novo Testamento insere um calço teológico entre eles para separar deuses. Antes, a Bíblia inteira nos apresenta um Deus multifacetado que é justo e gracioso.

Publicado com permissão do ministério The One Minute Apologist (disponível em: <https://oneminuteapologist.com/blog/is-the-god-of-the-old-testament-the-same-god-of-the-new-testament/>)

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Bobby Conway é o fundador e apresentador do ministério One Minute Apologist, especializado em fornecer respostas rápidas e fundamentadas sobre a defesa da fé cristã. É mestre em teologia pelo Dallas Theological Seminary e doutor pelo Southern Evangelical Seminary na área de apologética. Casado com Heather, tem 2 filhos e vive no sul da Califórnia, onde leciona no Calvary Chapel Bible College. Autor do livro Duvidando em Direção à Fé, publicado no Brasil pela Chamada.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

O Novo Evangelicalismo
O Novo Evangelicalismo
Thomas Ice
O Único Antídoto: O Poder do Espírito
O Único Antídoto: O Poder do Espírito
T. A. McMahon
Doutrinas Falsas
Doutrinas Falsas
Norbert Lieth
Vivendo nos Tempos Finais com um Olhar em Daniel
Vivendo nos Tempos Finais com um Olhar em Daniel
Dr. Rolf Sons
Desnutrição Profética
Desnutrição Profética
Steve Schmutzer
As Instituições Divinas
As Instituições Divinas
Thomas Ice
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

Como foi nos dias de Noé

R$31,90

1 e 2Tessalonicenses

de R$34,90
por R$29,67

Calendário de Israel 2021: Parede

de R$12,90
por R$9,90

Provérbios

R$32,90

Pense no seu Futuro

R$12,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes