O concílio apostólico e o futuro de Israel

Norbert Lieth

Deus promete por meio do profeta Amós, no Antigo Testamento: “Naquele dia, levantarei a tenda caída de Davi. Consertarei o que estiver quebrado, e restaurarei as suas ruínas. Eu a reerguerei, para que seja como era no passado” (Am 9.11). No Novo Testamento, Tiago lança mão dessa profecia e diz por ocasião do concílio apostólico em Jerusalém: “Concordam com isso as palavras dos profetas, conforme está escrito: ‘Depois disso voltarei e reconstruirei a tenda caída de Davi. Reedificarei as suas ruínas e a restaurarei’” (At 15.15-16).

É um tanto raro que uma casa em ruínas seja reconstruída. Em geral ela é simplesmente demolida por inteiro e então se constrói uma nova casa no lugar. Quando assim mesmo um edifício em ruínas é restaurado, a razão muitas vezes é que ele tem valor histórico. Deseja-se dar novo destaque àquelas antiguidades e torná-las novamente vistosas – e é exatamente isso que Deus também fará com Israel.

As duas passagens citadas acima estão entre as indicações mais impressionantes de que Israel ainda tem um futuro no reino messiânico.

Tiago era meio-irmão do Senhor e líder da igreja em Jerusalém. Era, portanto, uma autoridade reconhecida (Gl 1.19; 2.9). Concordando com Pedro, Tiago declarou que os gentios seriam agora incluídos oficialmente na comunidade dos judeus: “Simão nos expôs como Deus, no princípio, voltou-se para os gentios a fim de reunir dentre as nações um povo para o seu nome” (At 15.14, cf. v. 5-9).

Antes de Deus retomar o curso com Israel como nação, ele “primeiro” reuniu dentre as nações um povo para o seu nome. Com isso, Tiago explica ser essa a razão por que Israel não tem mais a prerrogativa, mas precisa retrair-se. Para dizer isso, Tiago lança mão da declaração do profeta Amós.

Só “depois disso”, ou seja, depois de se encerrar a era da igreja, o Senhor Jesus Cristo retornará em glória para voltar a se inclinar a Israel e para reconstruir a tenda caída de Davi (v. 16). Isto comprova que ele não cancelou a promessa a Israel, mas apenas a postergou.

Para que então “o restante dos homens busque o Senhor, e todos os gentios sobre os quais tem sido invocado o meu nome, diz o Senhor, que faz estas coisas” (v. 17). Ou seja: quando o povo de Israel tiver sido restaurado no reino messiânico, também as nações ainda remanescentes serão alcançadas pelos israelitas agora crentes.

A sequência ficará então assim:

  1. Israel sob a lei.
  2. Os gentios são acrescentados à igreja.
  3. Encerramento da era da igreja.
  4. Retorno e restauração de Israel.
  5. As nações ainda remanescentes são alcançadas no reino messiânico.

No versículo 18, Tiago ainda enfatiza que Deus conhece suas obras desde a eternidade. Tudo emana do plano de salvação do Senhor e se submete à maravilhosa deliberação do Onipotente. Não há limite para a nossa gratidão e o nosso louvor por sermos incluídos nesse maravilhoso plano. Por essa razão também não estamos sujeitos às leis da aliança do Sinai que Deus celebrou com Israel (v. 19-20). Fomos chamados para uma lei mais elevada e perfeita: a lei de Cristo.

Norbert Lieth é Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança