Como “recarregar” sua vida espiritual

Daniel Lima

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Certamente você já experimentou esta situação. Sua vida cristã está indo bem, não há um pecado que domine sua vida; na verdade, pelo contrário, você tem experimentado uma vida cristã onde há vitórias. De repente, sem aviso prévio, você se sente vazio, sem ânimo, sem entusiasmo. Talvez seja logo depois de uma grande vitória espiritual, como Elias após derrotar os profetas de Baal (1Reis 19). Talvez seja depois de um ministério exaustivo como o povo reconstruindo as muralhas de Jerusalém (Neemias 4.10). Pode até ser depois de ter tomado uma decisão correta, mas particularmente difícil, como Davi após poupar a vida de Saul (1Samuel 27). O fato é que você se encontra sem forças e, provavelmente, nesse momento sua vontade é de desistir ou abandonar a luta...

Eu creio que o apóstolo Paulo conheceu de perto esses momentos de desânimo. Em 2Coríntios 1.8 ele escreve: “Porque não queremos, irmãos, que vocês fiquem sem saber que tipo de tribulação nos sobreveio na província da Ásia. Foi algo acima das nossas forças, a ponto de perdermos a esperança até da própria vida”. Diante dos desafios e obstáculos ao seu ministério, ele com certeza passou por momentos de falta de força espiritual. Qual então é sua sugestão para esses momentos? Acredito que o Espírito Santo deseja nos ensinar usando o mesmo apóstolo Paulo por meio de Romanos 12.1-2:

“Portanto, irmãos, pelas misericórdias de Deus, peço que ofereçam o seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Este é o culto racional de vocês. E não vivam conforme os padrões deste mundo, mas deixem que Deus os transforme pela renovação da mente, para que possam experimentar qual é a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Assinante Plus

A primeira exortação de Paulo é que lembremos das misericórdias de Deus. O humanismo tem uma receita diferente. Para quem está desanimado, o humanista diz que temos de afirmar nosso valor pessoal. Aqui Paulo afirma que as misericórdias de Deus são a base para vivermos a vida cristã. A razão é que precisamos nos lembrar de que fomos salvos de um destino de eterna punição. Fomos salvos da morte que realmente merecíamos. Quando você estiver experimentando um momento de desânimo espiritual, lembre-se das misericórdias de Deus.

Quando você estiver experimentando um momento de desânimo espiritual, lembre-se das misericórdias de Deus.

A segunda exortação é que nos conectemos a Deus por meio da adoração. Repare que o texto não fala de um período litúrgico, mas de uma adoração viva e que abrange a totalidade de nossa vida. Paulo, inspirado pelo Espírito, nos exorta a, com base nas misericórdias, entregarmos inteiramente nossa vida a Deus. Esse é o nosso culto. Somos chamados a entregar a Deus tudo o que temos, mesmo quando nos faltam forças. É por meio da entrega que nos conectamos com ele. O próprio Jesus fala que é somente por meio de nossa comunhão com ele que podemos fazer alguma coisa (João 15.5).

A terceira exortação é a renovação de nossa mente. Com certeza essa é a área em que o cristão é mais desafiado. O Diabo não pode nos tirar das mãos de Deus. Jesus prometeu que não perderia nenhum dos que lhe foram confiados (João 6.39). No entanto, por meio de ataques à nossa mente, o inimigo pode nos paralisar e nos tornar improdutivos. É com tristeza que observo cristãos que pouco a pouco começam a acolher pensamentos contrários à Palavra de Deus. Talvez fiquem impressionados com a aparente sabedoria de um estudioso, ou talvez fiquem com inveja das vantagens de alguém que segue outros caminhos, ou ainda comecem a pensar que talvez exista um caminho melhor.

Somos chamados a entregar a Deus tudo o que temos, mesmo quando nos faltam forças.

Na verdade, o caminho seguido é exatamente o mesmo de Eva em seu diálogo com a serpente. Primeiro colocamos o caráter de Deus em dúvida, logo passamos a questionar suas ordens e por fim paramos para apreciar o fruto da desobediência. O resultado é sempre o mesmo: desconectar de Deus. 

E o que é mais curioso é que essa apatia torna a vida cristã sem graça, ou seja: nos rouba a força, o ânimo da fé. Reparem que o trecho de Romanos 12 conclui afirmando que assim vamos experimentar e confirmar como é bom estar alinhado com a vontade de Deus. Em outras palavras, caso você e eu estejamos em um momento em que a vontade de Deus não parece tão boa e agradável, mas talvez difícil ou sem alegria, a palavra do Espírito de Deus para nós é justamente que nos lembremos das misericórdias de Deus e baseado nelas nos entreguemos novamente ao Senhor, buscando a renovação de nossa mente.

Na minha vida eu tenho experimentado repetidamente um processo de reavivar de minha devoção toda vez que sigo esse caminho. Oro para que essa continue a ser a minha e a sua experiência.

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Daniel Lima foi pastor de igreja local por mais de 25 anos. Formado em psicologia, mestre em educação cristã e doutor em formação de líderes no Fuller Theological Seminary, EUA. Daniel foi diretor acadêmico do Seminário Bíblico Palavra da Vida por 5 anos, é autor, preletor e tem exercido um ministério na formação e mentoreamento de pastores. Casado com Ana Paula há mais de 30 anos, tem 4 filhos, uma neta e vive no Rio Grande do Sul desde 1995.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

Como manter a fé e a esperança em meio à crise?
Como manter a fé e a esperança em meio à crise?
Daniel Lima
A Dependência do Pecado
A Dependência do Pecado
Daniel Lima
Formação Espiritual: Ser Conformado
Formação Espiritual: Ser Conformado
Daniel Lima
E agora, José?
E agora, José?
Daniel Lima
Nele tudo subsiste
Nele tudo subsiste
Daniel Lima
O Cristão e o Princípio da Causalidade
O Cristão e o Princípio da Causalidade
Daniel Lima
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

Provérbios

R$32,90

1 e 2Tessalonicenses

R$34,90

Como foi nos dias de Noé

R$31,90

O Reino Vindouro

R$59,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes