A prática precisa acompanhar a teoria

Norbert Lieth

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Assim, se você me considera companheiro na fé, receba-o como se estivesse recebendo a mim.” (Filemom 17)

Filemom aparentemente afirmou várias vezes que Paulo é seu “companheiro”, ou seu “amigo”. Talvez ele até tenha ficado orgulhoso, em certo sentido, pelo fato de ser companheiro do grande apóstolo dos gentios.

“Companheiro” significa: “Alguém envolvido com outra pessoa. Participante, sócio, acompanhante, que segue junto no mesmo caminho e tem o mesmo direcionamento, a mesma disposição”.

Agora Paulo se aproveita dessa confissão de Filemom para interceder por Onésimo: “Se você me considera seu companheiro, então aceite Onésimo de volta, pois eu também o aceitei; e, acima de tudo, ele foi aceito pelo Senhor”. É o que a Bíblia nos ensina em Tiago 1.22: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando vocês mesmos”. Quantas vezes afirmamos coisas em nossas orações que têm um significado amplo:

  • Afirmamos ter um coração sincero, “de todo o coração”, e justamente com referência ao nosso coração conseguimos ser tão melindrosos e falsos.
  • Afirmamos nossa total disposição para o reavivamento, dizendo: “Senhor, reaviva primeiramente a mim!”, mas carregamos ciúmes e inveja em nosso coração.
  • Afirmamos nossa plena disposição para o trabalho: “Queremos te seguir de coração!”, mas servimos muito mais a nós mesmos do que ao Senhor.
  • Afirmamos nossa disposição em sermos aproveitados em qualquer missão, para qualquer obra, mas vivemos na comodidade e desprezamos qualquer empenho que não nos agrade.
  • Muitas vezes usamos palavras pomposas, afirmamos nosso amor ao próximo, mas não desejamos que o outro consiga progredir.
  • Será que estamos dispostos, quando formos requisitados, a colocar em prática nossas afirmações sobre nossa fidelidade, amizade, amor e fraternidade? Ou continuamos enganando a nós mesmos?
Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Norbert Lieth nasceu em 1955 na Alemanha, sendo missionário na América do Sul entre 1978 e 1985. Casado, tem 4 filhas. Hoje faz parte da liderança da Chamada da Meia-Noite em sua sede, na Suíça. O ponto central de seu ministério é a palavra profética, sendo autor de diversos livros e conferencista internacional. Ele estará presente no 22º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

Como reconquistar uma amizade perdida?
Como reconquistar uma amizade perdida?
Daniel Lima
Desastre nuclear ou pecado - o que é mais perigoso?
Desastre nuclear ou pecado - o que é mais perigoso?
Norbert Lieth
Intimidade com Cristo
Intimidade com Cristo
Daniel Lima
Amnésia Espiritual
Amnésia Espiritual
Daniel Lima
Você é Importante
Você é Importante
Ernesto Kraft
A Bênção da Humildade
A Bênção da Humildade
Norbert Lieth
MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE SALMOS (Leia Salmo 102:1-15)
Boa Semente 2021

MEDITAÇÕES SOBRE O LIVRO DE SALMOS (Leia Salmo 102:1-15)

Senhor, ouve a minha oração, e chegue a ti o meu clamor. (Salmo 102:1)

16 de Janeiro
Pérolas Diárias

16 de Janeiro

Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo." (Judas 20)