Dar tudo pelo irmão

Norbert Lieth

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Se ele o prejudicou em algo ou deve alguma coisa a você, ponha na minha conta. Eu, Paulo, escrevo de próprio punho: Eu pagarei – para não dizer que você me deve a própria vida.” (Filemom 18-19)

Às vezes somos muito ágeis em dizer: “Eu assumo a culpa toda”. No entanto, no versículo acima podemos observar o que isso realmente implica. Não se tratava apenas de uma alegoria de Paulo, mas ele realmente estava disposto a pagar: “Eu pagarei”.

Várias vezes eu já fiquei pensando nesse versículo e me perguntei: “O verdadeiro cristianismo precisa de fato chegar a tanto?”. Esse versículo não permite outro final, pois tem sua base em Cristo e pode ser cumprido somente com o sentimento igual ao dele. Tudo o mais é destrutivo. Os versículos acima nos mostram um exemplo vivo de fraternidade na prática.

Paulo estava disposto a assumir a dívida de Onésimo. Ele estava disposto a suportar a injustiça cometida e liquidar a conta no lugar de Onésimo. Isso nos ensina:

1. Como lidar com a culpa

Jesus havia redimido Onésimo e o perdoou de toda a culpa e injustiça. O Senhor levou a “declaração de culpa” junto para a cruz “e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz” (Colossenses 2.14). No entanto, injustiça e culpa praticadas devem ser acertadas também perante as pessoas. Nesse ponto, Paulo se prontificou para assumir a culpa. Assim, ele não desconsidera superficialmente a injustiça cometida, mas a assume para si.

O Espírito Santo fala e reage por meio do apóstolo. Paulo reagiu dessa maneira porque vivia com a mentalidade de Cristo. Andar com a mentalidade de Cristo significa estar sempre à procura de uma maneira de livrar o outro de sua culpa; não considerá-la, mas até assumi-la em caso de necessidade. Isso requer uma mentalidade sincera, sacerdotal. Deus nos deu o ministério da reconciliação e colocou a mensagem da reconciliação em nós. É o que lemos em 2Coríntios 5.18-19: “Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação”.

2. O que significa amor

O amor não apresenta uma relação de erros praticados, nem guarda rancor: “Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor” (1Coríntios 13.5). Em 1Pedro 4.8 lemos: “Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados”.

Assim, na prática isso requer que não cobremos pelos erros praticados pelo próximo, como lemos também em 2Timóteo 4.16: “Na minha primeira defesa, ninguém apareceu para me apoiar; todos me abandonaram. Que isso não lhes seja cobrado”.

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Norbert Lieth nasceu em 1955 na Alemanha, sendo missionário na América do Sul entre 1978 e 1985. Casado, tem 4 filhas. Hoje faz parte da liderança da Chamada da Meia-Noite em sua sede, na Suíça. O ponto central de seu ministério é a palavra profética, sendo autor de diversos livros e conferencista internacional. Ele estará presente no 25º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

Coração endurecido e surdez espiritual
Coração endurecido e surdez espiritual
Daniel Lima
Servir Genuinamente Cristão: Parte 1
Servir Genuinamente Cristão: Parte 1
Daniel Lima
“Quem sou eu”?
“Quem sou eu”?
Daniel Lima
Dominando a língua (Parte 1)
Dominando a língua (Parte 1)
Norbert Lieth
Quanto tempo me resta?
Quanto tempo me resta?
Daniel Lima
Conselhos de um Idoso
Conselhos de um Idoso
Daniel Lima
14 de Junho
Pérolas Diárias

14 de Junho

"Então ouvi uma como voz de numerosa multidão, como de muitas águas, e como de fortes trovões, dizendo: Aleluia! pois reina o Senhor nosso Deus, o Todo-Poderoso." Apocalipse 19.6