Dar tudo pelo irmão

Norbert Lieth

Se ele o prejudicou em algo ou deve alguma coisa a você, ponha na minha conta. Eu, Paulo, escrevo de próprio punho: Eu pagarei – para não dizer que você me deve a própria vida.” (Filemom 18-19)

Às vezes somos muito ágeis em dizer: “Eu assumo a culpa toda”. No entanto, no versículo acima podemos observar o que isso realmente implica. Não se tratava apenas de uma alegoria de Paulo, mas ele realmente estava disposto a pagar: “Eu pagarei”.

Várias vezes eu já fiquei pensando nesse versículo e me perguntei: “O verdadeiro cristianismo precisa de fato chegar a tanto?”. Esse versículo não permite outro final, pois tem sua base em Cristo e pode ser cumprido somente com o sentimento igual ao dele. Tudo o mais é destrutivo. Os versículos acima nos mostram um exemplo vivo de fraternidade na prática.

Paulo estava disposto a assumir a dívida de Onésimo. Ele estava disposto a suportar a injustiça cometida e liquidar a conta no lugar de Onésimo. Isso nos ensina:

1. Como lidar com a culpa

Jesus havia redimido Onésimo e o perdoou de toda a culpa e injustiça. O Senhor levou a “declaração de culpa” junto para a cruz “e cancelou a escrita de dívida, que consistia em ordenanças e que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz” (Colossenses 2.14). No entanto, injustiça e culpa praticadas devem ser acertadas também perante as pessoas. Nesse ponto, Paulo se prontificou para assumir a culpa. Assim, ele não desconsidera superficialmente a injustiça cometida, mas a assume para si.

O Espírito Santo fala e reage por meio do apóstolo. Paulo reagiu dessa maneira porque vivia com a mentalidade de Cristo. Andar com a mentalidade de Cristo significa estar sempre à procura de uma maneira de livrar o outro de sua culpa; não considerá-la, mas até assumi-la em caso de necessidade. Isso requer uma mentalidade sincera, sacerdotal. Deus nos deu o ministério da reconciliação e colocou a mensagem da reconciliação em nós. É o que lemos em 2Coríntios 5.18-19: “Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, ou seja, que Deus em Cristo estava reconciliando consigo o mundo, não lançando em conta os pecados dos homens, e nos confiou a mensagem da reconciliação”.

2. O que significa amor

O amor não apresenta uma relação de erros praticados, nem guarda rancor: “Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor” (1Coríntios 13.5). Em 1Pedro 4.8 lemos: “Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados”.

Assim, na prática isso requer que não cobremos pelos erros praticados pelo próximo, como lemos também em 2Timóteo 4.16: “Na minha primeira defesa, ninguém apareceu para me apoiar; todos me abandonaram. Que isso não lhes seja cobrado”.

Norbert Lieth é Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança