Todo Dia Com Jesus

Lucas 16:1-13

Quão estranho é este homem rico que aprova o seu administrador infiel! Quão estranha é também a conclusão do Senhor: "Das riquezas de origem iníqua fazei amigos" (v. 9)! Mas esta última palavra nos dá a chave da parábola. Nada aqui em baixo pertence ao homem. As riquezas que alega possuir são, na realidade, todas de Deus; elas são, pois, riquezas injustas. Posto sobre a Terra com a missão de administrá-la, o homem tem se comportado como um ladrão. Para satisfazer suas iniqüidades, o homem tem usado para seu próprio benefício aquilo que Deus lhe havia confiado com o fim de servi-LO. Mas, enquanto ainda tem em mãos os bens do divino Senhor, ele tem a oportunidade de se arrepender e, visando o futuro, empregá-los em benefício dos outros.

O mordomo do capítulo 12:42 era fiel e prudente; este aqui é infiel; não obstante, ele também age prudentemente. É esta a qualidade que seu senhor lhe reconhece. Se as pessoas do mundo mostram tal precaução nos seus negócios, não deveríamos nós, que somos "filhos da luz", mostrar ainda mais interesse pelas verdadeiras riquezas? (v. 11; 12:33).

O versículo 13 nos adverte que não temos dois corações: um coração para Cristo e outro para as riquezas e as coisas deste mundo. A quem queremos amar e a quem servir? (1 Reis 18:21).

Curso online

 

Contribua com este ministério

Realizamos a obra com poucos recursos e precisamos do seu apoio para mantê-lo e expandi-lo. Ajude-nos a alcançar mais pessoas com a Palavra de Deus!

Saiba como contribuir
Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança