Do sofrimento à glória (1.6-9)

Norbert Lieth

Compartilhe:  Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

“Nisso vocês exultam, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação. Assim acontece para que fique comprovado que a fé que vocês têm, muito mais valiosa do que o ouro que perece, mesmo que refinado pelo fogo, é genuína e resultará em louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado. Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, creem nele e exultam com alegria indizível e gloriosa, pois vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas” (1Pedro 1.6-9).

Esses versículos são um resumo do conteúdo de toda a carta. Antes de tudo, Pedro faz referência aos sofrimentos que os cristãos judeus tinham de suportar naquele tempo sob o imperador Nero. Além disso, ele aponta profeticamente para o atribulado período durante a grande tribulação, que duraria “um pouco de tempo” (v. 6; cf. Mateus 24.22), terminando com a volta de Jesus (“quando Jesus Cristo for revelado”, v. 7b). Isso se refere àquela revelação descrita em Apocalipse, o último livro da Bíblia.

A nós, o trecho ensina diversas verdades fundamentais aplicáveis à vida cristã:

  1. A vida do cristão não exclui aflições de toda espécie (“todo tipo de provação”).

  2. Luto e tristeza fazem parte da vida do cristão (“ser entristecidos por todo tipo de provação”). Não existe apoio neste texto para a ideia de que o cristão sempre deva estar alegre e radiante.

  3. Todo sofrimento tem uma causa (“devam ser”). No entanto, nem sempre conhecemos o motivo. Às vezes sabemos por que sofremos: pode servir para comprovar a fé, para a glorificação de Deus, como medida educativa ou como um testemunho. Aliás, esta declaração – “Mesmo não o tendo visto, vocês o amam; e apesar de não o verem agora, creem nele...” – deixa claro que durante a vida nesta terra não enxergamos Jesus. Isso significa que temos de ficar alertas quando alguém nos vier contar que teria recebido visões...

  4. A duração do sofrimento é insignificante em comparação com a glória (“ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos”).

  5. A fé é mais preciosa que as maravilhas materiais que poderemos perder (“muito mais valiosa do que o ouro que perece”).

  6. O júbilo pela volta de Jesus sempre acompanhará o término da vida do cristão (“vocês exultam... louvor, glória e honra, quando Jesus Cristo for revelado... creem nele e exultam com alegria indizível e gloriosa”). A noção de glória aparece 11 vezes na carta (1.7,11,21,24; 4.11,13,14; 5.1,4,10,11). Também fala-se repetidas vezes em se alegrar (1.6,8; 4.13).

  7. A fé comprovada no sofrimento tem um objetivo final (“vocês estão alcançando o alvo da sua fé, a salvação das suas almas”). Somos salvos quando passamos a crer – esse é o início da vida de fé. O fim e o objetivo da vida de fé é a ressurreição, a união da alma com um novo corpo glorioso na volta de Jesus.

Assinante Plus
 

O fim e o objetivo da vida de fé é a ressurreição, a união da alma com um novo corpo glorioso na volta de Jesus.

O conhecimento dessas coisas destina-se a nos sustentar através de todas as tristezas que nos sobrevenham e nas quais agora não enxergamos Jesus; a fortalecer a fé e a fazer arder o amor.

Se aplicarmos o versículo 9 a um Israel futuro sujeito a passar pela grande tribulação, essas palavras constituem um grande encorajamento para perseverar no sofrimento e esperar pelo retorno de Jesus em glória, quando suas almas serão salvas (Apocalipse 6.9-11; 20.4-6).

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Norbert Lieth nasceu em 1955 na Alemanha, sendo missionário na América do Sul entre 1978 e 1985. Casado, tem 4 filhas. Hoje faz parte da liderança da Chamada da Meia-Noite em sua sede, na Suíça. O ponto central de seu ministério é a palavra profética, sendo autor de diversos livros e conferencista internacional. Ele estará presente no 22º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Itens relacionados na livraria

Leia também

Pandemias e Mudanças
Pandemias e Mudanças
Daniel Lima
Decisões, Justiça e Preferências
Decisões, Justiça e Preferências
Daniel Lima
Ocupação, Ministério e Chamado
Ocupação, Ministério e Chamado
Daniel Lima
Como devemos enfrentar a iniquidade?
Como devemos enfrentar a iniquidade?
Daniel Lima
O Perigo do Pragmatismo no Ministério
O Perigo do Pragmatismo no Ministério
Daniel Lima
Cometas Brilhantes e Estrelas Cadentes
Cometas Brilhantes e Estrelas Cadentes
Daniel Lima
UM INDULTO APÓS 35 ANOS
Boa Semente 2021

UM INDULTO APÓS 35 ANOS

Pilatos... disse-lhes:... nenhuma culpa, das de que o acusais, acho neste homem. Nem mesmo Herodes, porque a ele vos remeti, e eis que não tem feito coisa alguma digna de morte. (Lucas 23:13-15)

26 de Outubro
Pérolas Diárias

26 de Outubro

"Em verdade, em verdade vos digo: Se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente." João 8.51

Compartilhe:   Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Facebook

Destaques

O Reino Vindouro

de R$59,90
por R$35,90

Como foi nos dias de Noé

R$31,90

1 e 2Tessalonicenses

R$34,90

Provérbios

R$32,90

Receba o informativo da Chamada

Artigos Recentes