Você é Importante

Ernesto Kraft

Compartilhe: 

Você é importante (1) no testemunho, (2) na oração, (3) na conduta e (4) na família. Contudo, o mais importante é Jesus em você.

Certo cristão egípcio explicou de forma bem ilustrativa que todo cristão nascido de novo é importante para Deus. Ele perguntou: se você comparar, em uma balança, meio quilo de açúcar granulado e meio quilo de açúcar em cubo, qual dos cubos será o mais importante no final: o primeiro, um do meio ou o último? A resposta é: todos são igualmente importantes para completar meio quilo. Se você tirar um cubo do prato da balança, esta já se inclinará para o lado.

Com a igreja é a mesma coisa. Você é tão importante quanto todos os outros. É claro que não me refiro aos orgulhosos, que dirão: “É verdade, eu sou importante, sem mim isso aqui nem funciona”. Nós sabemos que há várias pessoas ao nosso redor que farão as coisas melhor do que nós, então às vezes nem somos tão importantes. Isso também é verdade. E quem for mais a fundo pode dizer como Moisés em Êxodo 3.11: “Quem sou eu para apresentar-me ao Faraó e tirar os israelitas do Egito?”. E no capítulo 4.13: “Peço-te que envies outra pessoa”. Moisés, no início de sua vida com Deus, estava convicto de que era muito importante, pois “ele pensava que seus irmãos compreenderiam que Deus o estava usando para salvá-los” (At 7.25). Mas somente depois de muito tempo com Deus no deserto ele chegou a esta conclusão: “Quem sou eu?”.

Vendo dessa forma, talvez pensemos que não somos importantes, ainda mais quando lemos em Mateus 21.3 que “o Senhor precisa deles” – e este termo “precisar” só aparece neste ponto e ainda por cima com relação a um jumento, e não a uma pessoa. Neste caso, fica fácil pensarmos que não temos importância. Quero, porém, mostrar neste artigo que você tem importância, apesar do fato de que Deus poderia fazer missões mundiais mais facilmente com anjos do que com homens.

No entanto, ele decidiu fazer esta obra através de nós, e por isso cada um de nós é importante. 1Coríntios 3.9 diz: “Pois nós somos cooperadores de Deus”. Paulo chega ao ponto de, em 2Coríntios 5.20, dizer: “Portanto, somos embaixadores de Cristo”. Pensemos em uma corrente, por exemplo. Se um elo for tirado dela, e que seja o mais fraco, a corrente perde a sua utilidade. Se usarmos o exemplo de um livro, vemos que quem o escreve é importante, quem o traduz é importante, quem o imprime é importante, quem o embala e põe a etiqueta do endereço é importante. Para que o destinatário o receba, ninguém pode faltar. O trabalho do escritor ou do tradutor perde o sentido se o último da corrente não executar o serviço. Retire uma peça de um quebra-cabeça e faltará algo que não pode ser substituído.

Islamismo em Foco

Como se vê, você é importante, e quero destacar aqui quatro áreas onde você é importante.

1. Você é importante no testemunho

Muitos não querem saber do cristianismo porque a conduta dos cristãos não lhes dá motivo para querer. Nossa vida sempre será determinante – seja para atrair pessoas para Deus ou para repeli-las.

Lemos em 2Reis 5.2-3 sobre uma menina que nem ao menos é citada pelo nome. E ela é uma pessoa importante, através da qual um grande general obtém cura para a sua doença. Talvez você não seja conhecido, e nem ao menos conhecem o seu nome, mas é de valor inestimável para Deus.

A história é a seguinte: os soldados sírios prenderam esta menina israelita e a levaram cativa para a Síria. Ali ela se tornou escrava da esposa do grande general Naamã. Ele era rico e respeitado. Por causa de sua posição, certamente tinha acesso aos melhores médicos da época, mas era leproso e ninguém tinha a cura para ele. Nem dinheiro, nem experiência, nem inteligência foram capazes de ajudá-lo.

Sabe por que você é importante, mesmo se for desprezado pela sociedade? Você pode ser o único que tem a resposta para o problema central da humanidade. A lepra é aqui um símbolo para o pecado. Todos têm essa doença. Ninguém tem poder para curá-la, e quem não ficar livre dela nesta vida sofrerá a morte eterna. Suponhamos que você seja uma pessoa de sucesso, com uma boa carreira, um casamento bem estruturado, mas está “leproso”. Você ainda não resolveu o problema do pecado na sua vida e também não pode fazê-lo sozinho. Sabe quem pode ajudá-lo? Nenhum médico, por melhor que seja a sua formação e o seu conhecimento. Mas quem conhece Jesus pode dizer a você quem é capaz de ajudá-lo nessa situação, como fez aquela pequena menina. Em 2Reis. 5.3 consta: “Um dia ela disse à sua senhora: ‘Se o meu senhor procurasse o profeta que está em Samaria, ele o curaria da lepra’”. Você sabe que Jesus pode libertar da doença do pecado – por isso você é importante.

Atos 11.13-14 relata um fato que confirma isso: “Mande buscar, em Jope, Simão, chamado Pedro. Ele trará uma mensagem por meio da qual serão salvos você e todos os da sua casa”. A Bíblia diz que somos sal e luz do mundo. Mesmo se a nossa luz for pequena e fraquinha, ela é a única que pode iluminar a escuridão do pecado. Você é importante porque é você que precisa levar ao mundo o que aprendeu de Jesus.

Suponhamos que a menina que foi levada cativa para a Síria não fosse alguém que acreditava em Deus. Ela teria varrido o pó e limpado o chão da mesma forma, mas provavelmente estaria com o coração cheio de ódio pelo seu senhor. Poderia estar torcendo para que ele morresse logo. Afinal, ele era o inimigo, o culpado por ela estar sozinha ali, longe de sua família e de seus amigos. Ela teria sido importante? Não. Ela teria feito o seu trabalho, mas não teria feito diferença naquela casa.

Nós precisamos lembrar o que a Bíblia diz em Provérbios 17.15: “Absolver o ímpio e condenar o justo são coisas que o Senhor odeia”. Que diferença faz uma pessoa ser cristã ou não! O que torna você importante é que você sabe a solução para os problemas das pessoas ao seu redor. Mesmo se for pouco, é isso que dá valor à sua vida. Talvez você ache que agora, depois de velho, não poderá mais fazer diferença para ninguém. Quero dar um exemplo que mostra a importância que você tem mesmo se for velho.

Conta-se de uma senhora cega, de setenta anos, que amava muito a sua Bíblia em francês. Ela pediu a um missionário que marcasse com caneta vermelha o texto de João 3.16, que diz: “Porque Deus tanto amou o mundo que deu seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. O missionário espantou-se com o pedido da senhora cega, mas o fez mesmo assim. Ela conseguiu chegar até um banco diante de uma escola, onde sentou. Quando os alunos saíram da aula, ela perguntou se haviam prestado bastante atenção na aula de francês. Todos disseram que sim. Então ela pediu às crianças que lessem, uma a uma, o texto marcado, perguntando se elas entendiam o que haviam lido. Elas responderam que não. Então, partindo deste texto, ela anunciou o evangelho a estas crianças. Sabe-se que, por causa do serviço desta mulher, vinte e quatro homens tornaram-se pregadores da Palavra. Todos afirmaram que o ministério dessa mulher, realizado com grande fraqueza física, foi decisivo para a sua tomada de rumo no futuro. Essa senhora cega não ficou lamentando o seu destino, mas pediu a Deus que a usasse, pois ela tinha muito amor pelos não salvos. Deus lhe deu essa ideia do verso sublinhado de vermelho e ela a colocou em prática. Ela foi fiel com o pouco que lhe foi dado.

Quantas vezes não damos valor ao pouco que recebemos. Lembre-se do menino que trouxe os cinco pães e os dois peixes para Jesus. Ele se tornou um personagem importante para a multiplicação dos pães.

O importante é que nós transmitamos aquilo que recebemos. Uma menina sem nome e sem formação teológica passou adiante o pouco que sabia sobre Deus e, através disso, ajudou o desesperado Naamã. Você é importante porque você sabe quem é o único que pode ajudar. Passe isso adiante. A sua vida tem um valor imenso neste mundo, pois só você sabe esta mensagem.

2. Você é importante na oração

O diabo ri quando vê os nossos talentos e capacidades, mas treme quando vê alguém de joelhos.

Em Ezequiel 22.30-31 está escrito: “Procurei entre eles um homem que erguesse o muro e se pusesse na brecha diante de mim e em favor desta terra, para que eu não a destruísse, mas não encontrei nenhum. Por isso derramarei a minha ira sobre eles e os consumirei com o meu grande furor”. Deus fala aqui de um homem que se torna importante por causa da oração.

Frequentemente nós não temos consciência do que podemos alcançar sozinhos com a oração. Temos um poder enorme quando a nossa vida corre de forma que Deus pode ouvir as nossas orações. A oração é um poder incrível que Deus colocou em nossas mãos. O que teria acontecido com Jonas se ele não tivesse orado na barriga do peixe? O que teria acontecido com Pedro se a igreja não tivesse orado? O que teria acontecido com Bartimeu se não tivesse gritado por socorro? O que teria acontecido se Josué não tivesse buscado refúgio na oração durante a guerra? O que teria acontecido se Moisés não tivesse erguido as mãos em oração enquanto o povo de Israel lutava contra os amalequitas? A oração foi importante – a Bíblia diz que, quando Moisés baixava as mãos, os amalequitas venciam.

Você é importante. Quero enfatizar isso com um exemplo: certa noite, uma missionária na África não conseguia dormir porque tinha a impressão de que seria atacada por um animal selvagem. Olhou para todos os lados, mas não encontrou nada. Mas a sensação de que algo estava errado não a deixava em paz. Chamou seu marido e explicou-lhe a situação ligeiramente. Ao olharem ao redor, viram uma cobra venenosa, pronta para dar o bote. O missionário conseguiu matá-la com um tiro e tudo estava resolvido. Mas a história não termina por aqui. Uma irmã em Cristo no Canadá, ao pensar no casal, teve a forte sensação de que eles estavam passando por um enorme perigo. Ela orou intensamente pelos dois. Quando os missionários tiraram férias no Canadá e contaram essa história à irmã, constataram que, no mesmo momento em que ela se sentia impulsionada a orar por eles aconteceu o episódio da cobra.

Uma pessoa que ora – você é importante na oração. Você tem importância e poder incríveis através da oração. Para explicar essa importância, quero contar de uma pintura que mostrava a figura de uma balança. No prato esquerdo encontravam-se cinco diabos. Na outra, um menino orando. O prato do menino orando era mais pesado que os cinco diabos. Isso ilustra a importância que você tem ao orar. O diabo ri quando vê os nossos talentos e capacidades, mas treme quando vê alguém de joelhos.

É claro que aqui vale o mesmo princípio da história da menina. Ela também não teria sido importante se não tivesse trazido Deus para dentro da situação. Isso também vale para a oração. As orações que não encontram resposta também não têm poder nem importância. Porém, se levamos a nossa vida de forma que Deus possa responder nossas orações, então podemos mover o braço de Deus e operar maravilhas.

Qual era a importância das orações dos profetas de Baal? 1Reis 18.25-26 diz que eles oraram o dia inteiro, mas não adiantou nada. Elias, porém, orou apenas poucas palavras. O fogo desceu do céu e o povo de Israel adorou a Deus (1Rs 18.36-39). A sua oração é muito importante – desde que ela possa ser respondida.

Na oração, o importante também é que Deus possa fazer algo através de nós. Por exemplo, se a nossa vida conjugal não está em ordem, 1Pedro 3.7 diz que nossa oração não será atendida. Ela é interrompida: “Do mesmo modo vocês, maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida, de forma que não sejam interrompidas as suas orações”. O mesmo vale para a mulher. Se ela não souber controlar a sua língua e não tratar o marido como cabeça do lar, não terá poder na oração.

Em Gênesis 21.14-17 lemos a história de Hagar, que foi mandada embora pela sua senhora, Sara, junto com seu filho, Ismael. Quando acabou a água que tinha trazido, ela deitou seu filho debaixo de um arbusto, afastou-se um pouco e começou a chorar, porque não podia ver seu filho morrendo. E então lemos algo muito interessante no versículo 17: “Deus ouviu o choro do menino, e o anjo de Deus, do céu, chamou Hagar e lhe disse: ‘O que a aflige, Hagar? Não tenha medo; Deus ouviu o menino chorar, lá onde você o deixou’”. Era apenas um menino, mas a ele Deus podia responder, e assim veio a salvação: Deus abriu os olhos de Hagar para que visse um poço, e essa difícil situação foi resolvida.

Muitas vezes utilizamos a oração como um assento ejetor de um jatinho – estamos felizes porque o temos, e felizes porque não precisamos dele. É assim que muitas vezes utilizamos o poder da oração. E dessa forma não vamos muito longe. Quantos milagres não deixaram de acontecer porque nós não oramos! A nossa oração é importante. Deus está à procura de alguém que ora.

Você é importante, mas também é importante que a sua conexão com Jesus esteja em ordem. Isaías 59.2 diz: “Mas as suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá”. Se Deus puder ouvir a nossa oração, elas serão atendidas e situações serão transformadas onde nada mais pode transformá-las. Como você será importante quando suas orações puderem ser atendidas! Lemos em João 15.7: “Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e será concedido”. Medite sobre esta verdade: receberemos o que quisermos. Mas é importante permanecermos nele. O nosso fator de importância é Jesus em nós. Jesus está em você? Então sua vida será importante e uma bênção para os que convivem com você.

3. Você é importante na conduta

Deus pode fazer mais através de um cristão comprometido que através de cem cristãos mornos.

Em 1Coríntios 13.1-3 diz como nós somos se não temos o amor verdadeiro, apesar de falarmos, agirmos e ofertarmos. Você só será importante se for um recipiente cheio de amor. É disso que o seu ambiente precisa. Quero enfatizar isso com uma ilustração:

Havia uma mulher cujo marido não era cristão. Ela seguidamente o convidava para ir às reuniões na igreja, mas ele sempre recusava. Ele era completamente indiferente a isso. Certo dia, ele chegou do trabalho mal-humorado, e aconteceu que, bem nesse dia, a mulher resolveu convidá-lo novamente para ir com ela à reunião. Como ele já estava contrariado, o convite o irritou ainda mais, e ele fez algo que nunca havia feito: bateu no rosto dela, de forma que a boca e o nariz começaram a sangrar. A mulher simplesmente disse: “Perdoe-me, querido, por ter irritado você”. O marido pensou: “O quê? Eu bato nela sem motivo, e ela pede perdão?”. Ele ficou pálido e segurou-se com as duas mãos para não cair, e então perguntou: “Como você consegue dar uma resposta dessas para mim?”. “Foi Jesus quem me ensinou isso”, respondeu ela. “É isso que aprendo nas reuniões.”

Naquela noite o marido a acompanhou, e não demorou muito para que ele também se convertesse. A sua esposa conquistou o coração dele para Jesus pela mansidão e conduta exemplar.

Muitos não querem saber do cristianismo porque a conduta dos cristãos não lhes dá motivo para querer. Por isso você é muito importante. Nossa vida sempre será determinante – seja para atrair pessoas para Deus ou para repeli-las. Se Jesus está na nossa vida, ela sempre será uma influência – a Bíblia diz que somos um aroma suave, um perfume gostoso. 2Reis 2.14 diz: “Então bateu nas águas do rio com o manto e perguntou: ‘Onde está agora o Senhor, o Deus de Elias?’ Tendo batido nas águas, elas se dividiram e ele atravessou”. Quem fala muito, mas não age, permanece sem vida, como um metal que ressoa.

Só podemos convencer as pessoas de que o cristianismo é algo muito bom se o mostrarmos na prática. 1Pedro 3.1-2 diz: “Do mesmo modo, mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, a fim de que, se ele não obedece à palavra, seja ganho sem palavras, pelo procedimento de sua mulher, observando a conduta honesta e respeitosa de vocês”.

Sua vida é importante e se tornará mais importante na medida em que você deixar Jesus brilhar através de você. Sem amor nossa vida será inútil. Mas, quando ela é cheia do amor de Deus, ela passa a ter um valor inestimável. 1João 3.17-18 diz: “Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus? Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade”. Com essa conduta podemos transformar pessoas. Por isso a sua vida é tão importante quando você transmite o amor de Deus. Você percebe o que é determinante? Você percebe a importância da sua vida? Deixe Jesus agir.

4. Você é importante na família

É disso que o nosso mundo, e talvez a sua família, está precisando: que você vença o mal com o bem

Lucas 12.52-53 nos mostra uma grande verdade: “De agora em diante haverá cinco numa família divididos uns contra os outros: três contra dois e dois contra três. Estarão divididos pai contra filho e filho contra pai, mãe contra filha e filha contra mãe, sogra contra nora e nora contra sogra”.

Sabemos que também existem muitos problemas nas famílias cristãs: há brigas demais. E é nesse ambiente que você, cristão, é muito importante. Você pode trazer a solução dessas brigas. Por exemplo, o Salmo 106.30 diz: “Mas Fineias se interpôs para executar o juízo, e a praga foi interrompida”.

As famílias, as comunidades e as igrejas precisam de pessoas dispostas a perdoar. Que não querem ficar com a última palavra, que não querem ter sempre razão, que não se ressentem, mas que resolvem a situação. Provérbios 15.1 diz: “A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira”. O que acontece quando você é acusado com palavras duras e devolve na mesma moeda? A briga é perfeita, mas nós precisamos de pessoas que parem ela. Felizes são os pacificadores (Mt 5.9).

Se uma porta range, não adianta bater ou gritar com ela. Resolve-se esse problema colocando uma gota de óleo na dobradiça. Nós devemos ser pessoas com esse recipiente de óleo na mão. Devemos servir de consolo para abrir caminho ao Espírito Santo. As mudanças não acontecerão com brigas e discussões, mas através do fruto do Espírito vivido por nós. A prontidão do perdão, do novo começo, de não retribuir, trará soluções para as brigas, e as outras pessoas verão que vivemos com Jesus.

Romanos 12.21 diz: “Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem”. E o versículo 17 diz: “Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos”. É disso que o nosso mundo, e talvez a sua família, está precisando: que você vença o mal com o bem. 1Pedro 3.9 diz: “Não retribuam mal com mal, nem insulto com insulto; ao contrário, bendigam; pois para isso vocês foram chamados, para receberem bênção por herança”. Trata-se de não retribuirmos como recebemos, como a nossa natureza humana nos impele. Você será de grande importância se agir assim em sua família.

A maioria das pessoas escolhe o caminho “assim como recebi, assim eu devolvo”. A Bíblia, contudo, diz para agirmos com bênção, amor e auxílio. Você é importante na sua família. Veja o exemplo de José em Gênesis 39.5: “Desde que o deixou cuidando de sua casa e de todos os seus bens, o Senhor abençoou a casa do egípcio por causa de José. A bênção do Senhor estava sobre tudo o que Potifar possuía, tanto em casa como no campo”. Repare que era apenas um homem que procurava viver na presença de Deus. Isso moveu a bênção de Deus para todo o ambiente ao seu redor. É essa a importância que você também tem.

Faça a sua parte. Sabemos que muitas vezes nossa colaboração é alimentar mais ainda o maligno. Precisamos dar meia-volta, sujeitar-nos debaixo da mão de Deus e fazer a diferença na nossa igreja e na nossa família, transmitindo aquilo que Deus pode abençoar.

O importante é Jesus em você

Se você refletir Jesus e deixá-lo viver em você, então sua vida será importante.

O que faz a diferença em nós não é o que temos de nós mesmos, mas o que Jesus opera em nós. Somos importantes na proporção em que damos espaço para Jesus em nossa vida.

Filemom 11 diz sobre Onésimo: “Ele antes era inútil para você, mas agora é útil, tanto para você quanto para mim”. Onésimo era um escravo que havia roubado de seu senhor, mas que, depois de se converter, procurou consertar seu erro. Paulo, então, escreve a Filemom, o senhor, para que recebesse Onésimo novamente, pois agora ele seria útil. É essa presença de Jesus que também torna você importante. Se o deixarmos agir em nós, poderemos ser úteis em situações onde a ajuda é necessária.

O apóstolo Paulo estava preocupado com os cristãos da Galácia que estavam excluindo Deus de suas vidas. Lemos em Gálatas 5.4: “Vocês, que procuram ser justificados pela Lei, separaram-se de Cristo”. Onde Jesus é excluído, nós não temos importância nenhuma. Não temos nada a oferecer. E Paulo ainda diz em Gálatas 4.19: “Meus filhos, novamente estou sofrendo dores de parto por sua causa, até que Cristo seja formado em vocês”. O importante é que Cristo possa ganhar forma em nós. Isso enriquece a nossa vida e nos torna bênçãos para outros.

Paulo também diz em Filipenses 3.8: “Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo”. Paulo foi uma pessoa importante porque Jesus era uma realidade em sua vida. Nós precisamos nos tornar ricos nele – esse é o caminho para a nossa felicidade, e permite que sejamos uma bênção para outros neste mundo.

Contudo, para ficarmos ricos, precisamos primeiro ficar pobres. Apocalipse 3.17 diz: “Você diz: ‘Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada’”. Sabemos que a igreja de Laodiceia deixou Jesus de fora. Com toda a sua riqueza, não fazia diferença nenhuma para o mundo. Mas onde nós abrimos as portas para Jesus, para recomeçar a vida com ele, vamos enriquecer com ele e transmitir a sua bênção ao mundo.

Dê novamente lugar para Jesus. A cada encontro com ele você será alegrado e transformado, e sua vida será novamente um norteador para os outros. Veja o exemplo em Lucas 24: os discípulos estavam reunidos, tristes, até que chegaram dois companheiros que haviam encontrado Jesus e agora levavam esta mensagem com alegria: Jesus vive! Isso transformou a vida dos outros também. Se tivermos novamente Jesus em nossas vidas, teremos uma mensagem para os outros e seremos bênção. Pedro pôde amar os gentios, que ele odiava por natureza, porque vivia em comunhão com Deus.

O alvo importante é que outros vejam Jesus em nós. Vemos em João 12.2 o exemplo de Lázaro: “Ali prepararam um jantar para Jesus. Marta servia, enquanto Lázaro estava à mesa com ele”. Marta servia e Maria ofereceu seu perfume, mas de Lázaro só se diz que estava com Jesus à mesa. E, mesmo assim, vemos no versículo 9 que muitas pessoas vieram ver não somente Jesus, mas também Lázaro. Lázaro é aqui um exemplo dos milagres de Deus. Isso foi suficiente para tocar as outras pessoas.

Se você refletir Jesus e deixá-lo viver em você, então sua vida será importante. Pessoas cheias de Jesus, cheias do Espírito Santo, sempre são bênçãos. E, a cada vez que ajudarem, se tornarão ainda mais ricas em Jesus. A Bíblia diz: eu preciso diminuir, mas ele deve crescer. Você está disposto a diminuir para que Jesus possa crescer em você? É só por esse caminho que nossa vida se tornará uma vida de bênçãos. Deus pode fazer mais através de um cristão comprometido que através de cem cristãos mornos.

Dê espaço para Jesus. A vida de Jonas não foi nada importante enquanto ele dormia no fundo do navio. Mas, quando se arrependeu e decidiu obedecer a Deus, ele foi a peça-chave para que cento e vinte mil pessoas em Nínive chegassem ao arrependimento.

Dê espaço para Jesus. Elimine tudo aquilo que impede a sua ação e experimente o que Jesus pode fazer por você. “O Mestre está aqui e está chamando você” (Jo 11.28). Faça como Maria fez nessa ocasião: Levante-se e vá ao encontro de Jesus. Mesmo se você tomar essa decisão sozinho, no seu quarto, verá que grande bênção se tornará para você mesmo e para os outros ao seu redor. O importante é Jesus na sua vida. Entregue-se por inteiro agora a ele.

Compartilhe: 

Ernesto Kraft é alemão; casado com Elvira, com quem tem três filhos. Ele e sua esposa são missionários desde 1975 e desenvolvem um ministério específico de evangelização através de folhetos e cursos bíblicos por correspondência. Realizou diversos seminários sobre Escatologia em igrejas de São Paulo, e representa a Chamada da Meia-Noite distribuindo a literatura em São Paulo.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança