O que é a verdade?

Daniel Lima

Compartilhe: 

Vivemos num momento em que a verdade não é confiável. Não são somente tempos de verdade fluída, mas também da pós-verdade. Governantes decidem que a melhor postura é esconder a verdade, outros distorcem ela e apresentam a versão que mais lhes agrada. O Ministério da Saúde reduz a transparência dos dados que apresenta em defesa da verdade. Órgãos da imprensa revisam relatos passados e escolhem quais fatos incluir e quais deixar de lado. Mas uma versão da verdade ainda é verdade? Temos visto a verdade domesticada aos interesses mais variados; verdade abusada, torturada, enganada, hostilizada e revista. Para o mundo em geral, a verdade hoje é apenas um ideal, uma ilusão, uma fantasia.

No entanto, essa postura quanto à verdade não é apenas atual. Eu creio que ela é uma condição da humanidade sem Deus. No evangelho de João, capítulo 18, versos 37 e 38, lemos:

“Então, você é rei!”, disse Pilatos. Jesus respondeu: “Tu dizes que sou rei. De fato, por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade. Todos os que são da verdade me ouvem”. “Que é a verdade?”, perguntou Pilatos. Ele disse isso e saiu novamente para onde estavam os judeus, e disse: “Não acho nele motivo algum de acusação”.

Pôncio Pilatos já lutava com a questão do que é a verdade. Sua declaração não era propriamente uma pergunta, mas uma afirmação de frustração. Ele fez a pergunta como quem anuncia: “Eu desisto, este é um debate inútil!”. É curioso como essa afirmação, apesar de ter quase dois mil anos, é atual. Diante de tantas informações conflitantes, as pessoas se cansam de tentar obter a verdade e terminam desistindo. Talvez a verdade não seja possível de ser conhecida, pensam muitos.

Essa proposição não só é perigosa como é a essência da obra do Diabo, que é chamado de “pai da mentira” (João 8.44). Se a verdade não pode ser conhecida, se nunca podemos ter certeza de coisa alguma, então teremos que aceitar meias verdades, ou verdades relativas, que são – no fundo – mentiras completas. Contrariando essa proposta diabólica, Jesus mesmo afirmou, conforme descrito em João 14.6: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (ênfase acrescentada). Contudo, alguém ainda poderia argumentar que é impossível conhecer a Deus, ou ainda que existem várias perspectivas de Jesus, todas igualmente válidas.

Há algo de verdadeiro nisso (na questão de que nenhum de nós pode esgotar o conhecimento de Deus); sendo assim, nossas afirmações são tentativas de explicar a verdade. Mas também temos a promessa de que seremos guiados a toda a verdade. Ainda no evangelho de João, Jesus promete que nós seríamos guiados à verdade: “Mas, quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade” (16.13).

Não só o Espírito Santo é dado para que conheçamos toda a verdade, mas também a Palavra de Deus nos foi dada para que pudéssemos conhecer a verdade. Em sua oração sacerdotal, Jesus afirma: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (João 17.17). Assim pela instrumentalidade do Espírito Santo podemos ser guiados a toda a verdade por meio da sua Palavra revelada.

Em meio a tantas meias verdades, verdades distorcidas, ocultadas, revisadas e adulteradas, se você é, como eu, um filho de Deus, então podemos ter a certeza de que a verdade é possível de ser conhecida. Mais do que isso, temos os meios para conhecer a verdade. Para isso, precisamos cuidar para não comprar o discurso do mundo, de políticos (sejam de esquerda ou direita); precisamos cuidar para que compromissos com linhas de pensamento ou com líderes humanos não nos tornem cegos às mentiras que são inerentes a esses movimentos.

O Que Devemos Pensar Sobre Israel?

O autor da carta aos Hebreus, no capítulo 12, versos 1 e 2, escreve:

Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta, tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé.

Minha oração por você e por mim é que nosso compromisso, nossa vida em Cristo nos faça cuidar de outras alianças humanas e mantenhamos nossos olhos fixos em Jesus, que é a verdade em sua essência!

Compartilhe: 

Daniel Lima foi pastor de igreja local por mais de 25 anos. Formado em psicologia, mestre em educação cristã e doutorando em formação de líderes no Fuller Theological Seminary, EUA. Daniel foi diretor acadêmico do Seminário Bíblico Palavra da Vida por 5 anos, é autor, preletor e tem exercido um ministério na formação e mentoreamento de pastores. Casado com Ana Paula há mais de 30 anos, tem 4 filhos, uma neta e vive no Rio Grande do Sul desde 1995.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança