Heróis Desconhecidos do Evangelho

Norbert Lieth

Compartilhe: 

O apóstolo Paulo escreve aos cristãos na Galácia: “Se alguém se considera alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo. Cada um examine os próprios atos, e então poderá orgulhar-se de si mesmo, sem se comparar com ninguém” (Gálatas 6.3-4).

A igreja é denominada de corpo de Cristo. Esse corpo é composto de muitos membros. Cada membro tem a sua função. Por isso cada membro é importante. No entanto, é somente na comunhão que podemos ser eficientes em nossa função. Quando um membro se perde, todo o corpo é prejudicado. O corpo de Cristo somente terá um ótimo funcionamento se todos os membros trabalharem em conjunto.

O livro de Atos conta a história dos grandes feitos dos apóstolos. Todavia, além deles houve ainda outros “heróis desconhecidos”. Homens e mulheres que trabalharam nos bastidores e quase não apareciam.

Os cinco diáconos desconhecidos: trabalho de retaguarda

“‘Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa e nos dedicaremos à oração e ao ministério da palavra’. Tal proposta agradou a todos. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, além de Filipe, Prócoro, Nicanor, Timom, Pármenas e Nicolau, um convertido ao judaísmo, proveniente de Antioquia” (Atos 6.3-5).

O corpo de Cristo somente terá um ótimo funcionamento se todos os membros trabalharem em conjunto.

Todos nós conhecemos Estêvão e Filipe. No entanto, havia mais outros cinco que também prestaram um serviço importante à igreja primitiva. O trabalho dedicado, prático e diaconal deles proporcionava a necessária liberdade para que os apóstolos pudessem realizar sua missão. O trabalho desses homens quase não foi visto, mas ele foi muito importante para o funcionamento do corpo de Cristo. O mesmo aconteceu com os apóstolos que, no decorrer da propagação posterior do evangelho, não são mais mencionados (p. ex. Tomé, André, Filipe, Simão, o zelote, Judas, filho de Tiago, Bartolomeu, Tiago, filho de Alfeu etc.). No entanto, o Senhor Jesus falou sobre todos os seus discípulos: “Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus. Tudo o que tenho é teu, e tudo o que tens é meu. E eu tenho sido glorificado por meio deles. Não ficarei mais no mundo, mas eles ainda estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, protege-os em teu nome, o nome que me deste, para que sejam um, assim como somos um” (João 17.9-11).

Lendo Moisés, Vendo Jesus

Querida leitora, querido leitor, o seu trabalho de apoio é importante se ele contribuir para promover o evangelho que outros estão proclamando!

Ananias: obediente nas coisas simples

“Em Damasco havia um discípulo chamado Ananias. O Senhor o chamou numa visão: ‘Ananias!’ ‘Eis-me aqui, Senhor’, respondeu ele. O Senhor lhe disse: ‘Vá à casa de Judas, na rua chamada Direita, e pergunte por um homem de Tarso chamado Saulo. Ele está orando; numa visão viu um homem chamado Ananias chegar e impor-lhe as mãos para que voltasse a ver’” (Atos 9.10-12).

Ananias não se tornou uma personalidade famosa como Paulo, Pedro ou Tiago. No entanto, por sua obediência, ele foi a chave utilizada pelo Senhor para introduzir Saulo (Paulo) na obra do Senhor.

Justamente a obediência nas pequenas coisas pode proporcionar que a obra do Senhor se torne ainda maior.

Lídia: o valor da hospitalidade

“Tendo sido batizada, bem como os de sua casa, ela nos convidou, dizendo: ‘Se os senhores me consideram uma crente no Senhor, venham ficar em minha casa’. E nos convenceu. Depois de saírem da prisão, Paulo e Silas foram à casa de Lídia, onde se encontraram com os irmãos e os encorajaram. E então partiram” (Atos 16.15,40).

Logo após a sua conversão, Lídia abriu sua casa para Paulo e seus auxiliares. Ali puderam descansar e se recuperar. A partir dali muitas pessoas passaram a crer e em Filipos foi organizada uma igreja. A hospitalidade tem um valor incalculável, assim como o encorajamento. Isso proporciona alívio para outros.

Justamente a obediência nas pequenas coisas pode proporcionar que a obra do Senhor se torne ainda maior.

Jasom: empenho altruísta

“Mas os judeus ficaram com inveja. Reuniram alguns homens perversos dentre os desocupados e, com a multidão, iniciaram um tumulto na cidade. Invadiram a casa de Jasom, em busca de Paulo e Silas, a fim de trazê-los para o meio da multidão. Contudo, não os achando, arrastaram Jasom e alguns outros irmãos para diante dos oficiais da cidade, gritando: ‘Esses homens, que têm causado alvoroço por todo o mundo, agora chegaram aqui, e Jasom os recebeu em sua casa. Todos eles estão agindo contra os decretos de César, dizendo que existe um outro rei, chamado Jesus’. Ouvindo isso, a multidão e os oficiais da cidade ficaram agitados. Então receberam de Jasom e dos outros a fiança estipulada e os soltaram” (Atos 17.5-9).

“Jasom os recebeu em sua casa” é uma boa acusação. Ele arriscou a sua vida pelo evangelho, não proferindo grandes discursos, mas simplesmente colocando sua casa à disposição para os judeus convertidos. O que nós empenhamos por amor a Jesus?

O sobrinho de Paulo: coragem exemplar

“Na noite seguinte o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse: ‘Coragem! Assim como você testemunhou a meu respeito em Jerusalém, deverá testemunhar também em Roma’. Na manhã seguinte os judeus tramaram uma conspiração e juraram solenemente que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem Paulo. Entretanto, o sobrinho de Paulo, filho de sua irmã, teve conhecimento dessa conspiração, foi à fortaleza e contou tudo a Paulo” (Atos 23.11-12,16).

Não sabemos o nome desse sobrinho de Paulo. Supõe-se que Paulo, após sua conversão, tenha sido abandonado por sua família (ver Filipenses 3.8). No entanto, de algum modo esse sobrinho ainda se relacionava com Paulo. Os parentes podiam visitar seus familiares na prisão, se estes fossem cidadãos romanos (Atos 24.23). Deus simplesmente poderia ter arrebatado Paulo como havia feito com Filipe (Atos 8.39). Todavia, ele não o fez para nos mostrar quão importante é o nosso serviço. Deus poderia ter enviado um anjo. No entanto, Deus utilizou o sobrinho de Paulo para salvar a vida do apóstolo. Esse jovem teve a coragem de denunciar um plano de assassinato.

Deus pode utilizar qualquer pessoa (independentemente de sua idade); crentes que lhe são obedientes e que têm disposição. Nesse caso, o jovem teve disposição porque ele não andava com a multidão nem se adaptava à opinião dos outros.

Seja uma pessoa que não concorda com tudo que seu ambiente lhe transmite, mas faça aquilo que o Espírito Santo lhe diz!

Júlio: bravo empenho

“Quando ficou decidido que navegaríamos para a Itália, Paulo e alguns outros presos foram entregues a um centurião chamado Júlio, que pertencia ao Regimento Imperial. Os soldados resolveram matar os presos para impedir que algum deles fugisse, jogando-se ao mar. Mas o centurião queria poupar a vida de Paulo e os impediu de executar o plano. Então ordenou aos que sabiam nadar que se lançassem primeiro ao mar em direção à terra” (Atos 27.1,42-43).

O capitão Júlio salvou a vida de Paulo quando os demais soldados planejavam matá-lo. Desse modo o evangelho alcançou o destino previsto – Roma. O bravo empenho que você faz também promove a propagação do evangelho, seja esse empenho amplo e visível, ou mesmo de modo invisível. Seja uma pessoa que não concorda com tudo que seu ambiente lhe transmite, mas faça aquilo que o Espírito Santo lhe diz!

Não importa se é jovem ou idoso, com muitos ou poucos dons, em público ou na retaguarda: você é importante!

Compartilhe: 

Norbert Lieth nasceu em 1955 na Alemanha, sendo missionário na América do Sul entre 1978 e 1985. Casado, tem 4 filhas. Hoje faz parte da liderança da Chamada da Meia-Noite em sua sede, na Suíça. O ponto central de seu ministério é a palavra profética, sendo autor de diversos livros e conferencista internacional. Ele estará presente no 22º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança