Todo Dia Com Paz

Quarta-Feira 11 Julho

Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?

(Romanos 2:4)

A Paciência De Deus

“A paciência e o tempo podem mais que a ira e a força”. Essa moral de uma fábula de La Fontaine nos anima a ter paciência e domínio próprio ao mesmo tempo em que denuncia a inutilidade da ira e a agressividade diante das dificuldades. Às vezes perdemos a paciência diante de situações difíceis no que diz respeito a uma criança, ao nosso cônjuge ou um companheiro de trabalho. E a situação pode transformar-se num conflito. Em certas ocasiões também colocamos à prova a paciência das outras pessoas.

Mas, temos pensado na paciência de Deus? “O Senhor... é longânimo para conosco”, quer dizer, para com todos os homens porque todos pecaram. Todos éramos culpados diante dEle e estávamos condenados a morrermos em nossos pecados. Mas Deus, que nos ama, deseja que “todos venham a arrepender-se” (2 Pedro 3:9). Essa é uma advertência cheia de amor, Deus “ordena agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam” (Atos 17:30).

Arrepender-se é reconhecer que somos parte dos seres humanos que estão sob o mesmo veredito divino: “Não há um justo, nem um sequer” (Romanos 3:10). É aceitar nossa incapacidade para nos tornar justos por nós mesmos. É receber o único meio que Deus nos oferece: o Senhor Jesus Cristo, que levou sobre a cruz o castigo que nossos pecados mereciam. É crer nEle, aceitar ser tornado justo diante de Deus, “gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3:24). Não desprezemos a paciência de Deus.

Agora Vejo

 

Contribua com este ministério

Realizamos a obra com poucos recursos e precisamos do seu apoio para mantê-lo e expandi-lo. Ajude-nos a alcançar mais pessoas com a Palavra de Deus!

Saiba como contribuir
Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança