Salvação versus carma

Lothar Gassmann

Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear isso também colherá. Quem semeia para a sua carne da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito do Espírito colherá a vida eterna.” (Gálatas 6.7-8)

A Palavra de Deus diz que cada pessoa é responsável pelos seus atos e que cada um receberá, “perante o tribunal de Cristo... de acordo com as obras praticadas por meio do corpo, quer sejam boas quer sejam más” (2Coríntios 5.10). Algumas seitas relacionam essa passagem com a doutrina “da reencarnação e do carma”, de repetidas vidas terrenas e um somatório de boas e más ações. Tanto nessa passagem como em toda a Bíblia, porém, não encontramos nada a respeito. Antes de tudo, as ideias do carma e da salvação por meio de Cristo são incompatíveis entre si. Em contraste com esse constante abatimento da culpa de novos pecados, em virtude de boas obras praticadas no decorrer de muitas reencarnações, temos de forma radical a salvação plena dos pecados da pessoa, consumada uma vez por todas na cruz por meio de Jesus Cristo, que se sacrificou em nosso lugar, e esta salvação é recebida pela fé (Romanos 3.23ss; 8.1; Efésios 2.8ss; Hebreus 9.12,27ss).

Gálatas 6.8, que desenvolve o versículo anterior, traz uma contestação à doutrina do carma, que afirma: a pessoa que semeia sobre sua “carne” – isto é: que constrói sobre seu velho ser não redimido e sobre as suas obras (também sobre suas “boas obras” realizadas durante as muitas supostas encarnações) – “da carne colherá destruição”, mas aquele que semeia para o “Espírito” – quem confia unicamente no poder de Deus e produz “frutos do Espírito” – “do Espírito colherá a vida eterna”. O versículo a seguir contesta todos os esforços próprios para a salvação: “Pois sustentamos que o homem é justificado pela fé, independente da obediência à lei” (Romanos 3.28).

Venham comemorar, cantar e agradecer ao nosso Senhor!
Venham com alegria para a grande festa de Deus!
Venham todos de perto, mesmo se de longe for,
pois Deus quer contar com a confiança de todos os seus!

Venham e vejam: não há nada que seja maior do que Deus!
Ele criou a terra, os altos montes e o mar.
Sim, ele sabe das folhas do caminho que estão a secar.
O que é pálido, com o seu fulgor volta a brilhar.

Somos o povo de sua pastagem, criado por sua mão,
tentamos, no entanto, sem Deus viver.
Voltemo-nos a ele, que nos oferece o seu amor.
Servir-lhe, alegres, é o nosso dever.

Compartilhe: 

Lothar Gassmann nasceu em 1958 na cidade alemã de Pforzheim. É pregador, professor, evangelista e publicista. Escreveu numerosos livros, artigos e canções na área teológica. Desde 2009, é colaborador do Serviço das Igrejas Cristãs (CGD, na sigla original) e editor da revista trimestral Der schmale Weg [O Caminho Estreito]. Completou seu doutorado em teologia em 1992, na Universidade de Tubinga, na Alemanha.

Veja artigos do autor

Todos os textos da série

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança