Quatro solos de crescimento

Lothar Gassmann

“‘O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. Parte dela caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade. Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas. Outra ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um’. Tendo dito isso, exclamou: ‘Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!’.” (Lucas 8.5-8)

À época de Jesus, um agricultor de Israel não dispunha de máquinas modernas para o preparo do solo. A semeadura era manual. Espalhava-se as sementes sobre o solo e depois passava-se com um simples arado. No entanto, os diversos tipos de solo que ele encontrava também são conhecidos ainda hoje.

Muitos grãos caem no caminho duro. Eles não são enterrados com o arado e rapidamente são comidos pelas aves vêm. Ou são pisados pelas pessoas.

Outros grãos caem em solo rochoso. Visto de cima, muitas vezes é semelhante ao restante da lavoura. Em seguida, porém, o agricultor observa que as plantas não crescem. Elas não desenvolvem raízes suficientes e morrem por falta de água e pelo calor.

As sementes que caem sob espinhos também não têm chance. Pode ser que até cresçam, mas logo o tenro rebento é envolvido pelo matagal. Falta-lhe espaço e luz – e ele morre.

No entanto, os grãos que caem em solo sem pedras, sem espinhos e logo são arados produzirão frutos. O agricultor pode se alegrar com a colheita.

Solo duro, solo rochoso, solo coberto de espinheiros e solo frutífero: quatro solos diferentes, quatro possibilidades de crescimento! Às vezes, Jesus utilizou tais figuras da criação para demonstrar relacionamentos espirituais. Foi o que aconteceu também nesta parábola do semeador.

Os quatro diferentes solos são figuras para mostrar quatro possibilidades de reação das pessoas ao ouvirem a Palavra de Deus. Do mesmo modo como os solos recebem de maneira diferente as sementes – os grãos espalhados –, assim também as pessoas recebem a Palavra de Deus de maneiras diferentes. Oremos:

Senhor, no último dia, quando eu estiver diante de ti, então me perguntarás: “Você ouviu o meu convite? Você veio para mim? Que frutos você trouxe consigo?”. Por favor, preencha meu coração com amor por ti para que, naquele dia, eu não esteja com mãos vazias diante de ti. Amém.

Compartilhe: 

Lothar Gassmann nasceu em 1958 na cidade alemã de Pforzheim. É pregador, professor, evangelista e publicista. Escreveu numerosos livros, artigos e canções na área teológica. Desde 2009, é colaborador do Serviço das Igrejas Cristãs (CGD, na sigla original) e editor da revista trimestral Der schmale Weg [O Caminho Estreito]. Completou seu doutorado em teologia em 1992, na Universidade de Tubinga, na Alemanha.

Veja artigos do autor

Todos os textos da série

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança