O Segredo: Lições da vida de Elias

A disposição de Elias para ser humilhado

Por estar perante o Senhor, Elias aceitou voluntariamente as humilhações. Muitos filhos de Deus falham na hora em que são humilhados. A nossa autenticidade como discípulos é demonstrada pelo modo como aceitamos as humilhações. Jesus disse: “Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas” (Mateus 11.29).

Nesse sentido há muita camuflagem entre os crentes. Muitos afirmam que são humildes, mas mostram seu orgulho ao se declararem orgulhosos por serem humildes. Observemos a primeira humilhação a que Elias foi submetido, após ter se apresentado de maneira grandiosa e poderosa. O Senhor parece ter dito a ele: venha agora, eu vou diminuí-lo um pouco. – Eu tive essa experiência várias vezes em minha vida e no ministério do Senhor. O Senhor humilha seus servos após uma benção assim como um cirurgião esteriliza seus instrumentos após uma cirurgia bem-sucedida. Eles são purificados das suas bactérias. Davi disse: “Antes de ser castigado, eu andava desviado, mas agora obedeço à tua palavra”, e: “Sei, Senhor, que as tuas ordenanças são justas, e que por tua fidelidade me castigaste” (Salmo 119.67,75).

Você entende agora por que precisa andar no caminho inferior? O Senhor quer purificar você das bactérias espirituais do orgulha para que ele possa usá-lo novamente! Em 1Reis 17.2-3 lemos sobre Elias: “Depois disso a palavra do Senhor veio a Elias: ‘Saia daqui, vá para o leste e esconda-se perto do riacho de Querite, a leste do Jordão’”. Em outras palavras: Elias, agora você pode tirar uma folga, mas não em um “hotel 5 estrelas”; não, mas “você beberá do riacho, e dei ordens aos corvos para o alimentarem lá” (verso 4).

O Senhor humilha seus servos após uma benção assim como um cirurgião esteriliza seus instrumentos após uma cirurgia bem-sucedida.

Elias era um fervoroso agente da lei. Por isso ele evitava tudo o que era impuro. Entre os animais impuros estavam também os corvos. Os judeus detestavam essas aves, e Elias muito mais, pois ele obedecia à lei com muita precisão. O Senhor determinou que justamente ele fosse servido por corvos. E o que Elias fez então? Ele estava mais avançado na fé do que Pedro – sobre este podemos ler, em Atos 10.10-16, que o Senhor fez descer do céu um grande lençol contendo vários animais, répteis e aves, todos impuros, e ordenou que comesse deles, mas Pedro respondeu desta maneira: não, não, isso eu não como, nem se cogita, Senhor. Sou muito piedoso para isso. – Em Elias, no entanto, vemos o grande segredo de sua vida. “E ele fez o que o Senhor lhe tinha dito” (1Reis 17.5a).

Ele obedeceu porque lhe agradava? Não, isso deve ter sido muito desconfortável para Elias, mas ele obedeceu ao Senhor. Ele obedeceu à vontade de Deus, contrariamente à sua própria vontade. Mesmo que ele tivesse aversão a isso, ele seguiu no caminho da humildade a qualquer preço. Por isso Deus pôde usá-lo tão poderosamente. Em Elias eu vejo o homem que andou antecipadamente no caminho da cruz, pois os corvos lhe trouxeram carne e pão. A seguir, Elias teve uma humilhação ainda maior. O Senhor não permite que sejamos submetidos a uma humilhação mais profunda se não pudermos suportar a mais leve. – Muitos filhos de Deus passam por isso quando são honrados e considerados, e então acreditam que são uma bênção especial. De modo algum! Diante de tais crentes, sempre sou tomado de um temor oculto. Quer me parecer que o Espírito Santo os abandonou. O Senhor não consegue fazer uso deles, pois não suportam qualquer humilhação, e por isso ele os entrega à cuidadosa manutenção de seu ego. Os abençoados do Senhor são sempre mais humilhados, mais e mais para baixo!

Em 1Reis 17.8-9, lemos: “Então a palavra do Senhor veio a Elias: ‘Vá imediatamente para a cidade de Sarepta de Sidom e fique por lá. Ordenei a uma viúva daquele lugar que lhe forneça comida’”. Isso foi algo ainda mais horrível para Elias. Em Israel as viúvas eram muito desprezadas. A maior ambição das mulheres em Israel era ter muitos filhos, preferencialmente homens, pois cada mãe esperava se tornar a mãe do Messias. Quando uma mulher ficava viúva, ela precisava renunciar a esses planos. Muitas vezes as mulheres eram ilicitamente maltratadas, por isso o Senhor as defendia especialmente: “Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação” (Salmo 68.5).

O Senhor não permite que sejamos submetidos a uma humilhação mais profunda se não pudermos suportar a mais leve.

Agora Elias recebeu a ordem de ir até à casa de uma viúva, a qual o sustentaria. Para ele, como já mencionamos, isso foi um grande passo para baixo. No entanto, o caso seria ainda mais profundo, pois essa viúva era pagã. Apesar disso, Elias obedeceu: “E ele foi” (1Reis 17.10a) para Sarepta. Ele se dispôs a seguir no caminho da humilhação!

Você sabe qual foi o resultado disso? Por sua disposição em andar pelo caminho da humilhação, em um período de maior penúria e crise de fome, ele tinha fartura. Mediante a solicitação de Elias, a viúva respondeu que infelizmente seria impossível trazer-lhe um pedaço de pão, pois ela dispunha somente de um punhado de farinha e um pouco de azeite. Depois de assá-lo e se alimentar juntamente com seu filho, ambos deveriam morrer. O Espírito do Senhor veio então sobre Elias, e ele disse: “Pois assim diz o Senhor, o Deus de Israel: ‘A farinha na vasilha não se acabará e o azeite na botija não se secará até o dia em que o Senhor fizer chover sobre a terra’” (1Reis 17.14). Assim, havia fartura de dois itens: farinha e azeite; um resultado prático da disposição voluntária de ser humilhado. Todavia, qual é o significado bíblico da farinha?

Wim Malgo (1922-1992) nasceu em Maassluis, Holanda. Formou-se no Instituto Bíblico Beatenberg, na Suíça. Fundou a Obra Missionária Chamada da Meia-Noite na Suíça em 1955. Autor de mais de 40 livros, durante décadas suas mensagens bíblicas, proféticas e de santificação, profundas e atuais, transmitiram uma visão clara do plano de Deus e ajudaram inúmeras pessoas em sua vida de fé.

Veja artigos do autor

Todos os textos da série

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança