O evangelho elimina divisões de classe

Norbert Lieth

Compartilhe: 

Não mais como escravo, mas muito além de escravo, como irmão amado. Para mim ele é um irmão muito amado, e ainda mais para você, tanto como pessoa quanto como cristão.” (Filemom 16)

Esse versículo começa com duas palavras que mudam toda a situação: “não mais” como escravo, e então consta adiante: “muito além” de escravo. Outras versões dizem “acima” ou “mais” do que um escravo. Depois vem a terceira evolução: “como irmão amado”. O evangelho tem o poder de revogar nossa antiga posição e nos encaminhar para algo totalmente novo. 1Coríntios 7.22 expressa isso do seguinte modo: “Pois aquele que, sendo escravo, foi chamado pelo Senhor, é liberto e pertence ao Senhor; semelhantemente, aquele que era livre quando foi chamado é escravo de Cristo”.

Paulo também reforça que agora Onésimo seria duplamente útil para Filemom, tanto na área natural como também no Senhor. Isso significa que certas regras não são revogadas. Quanto à posição em Cristo, todos são irmãos e irmãs com direitos iguais, mas com referência às regras da vida cotidiana, as diferenças devem ser respeitadas.

“Ser escravo... tanto como pessoa...” significa: quanto à sua posição em Cristo, o escravo Onésimo se tornou um amado irmão para Filemom. No entanto, de acordo com as regras, ele não se tornou senhor, mas continuou sendo escravo. Nessa condição ele agora deveria servir ao seu senhor (hoje diríamos: seu chefe) de maneira ainda muito melhor. Ele agora seria muito mais eficiente, mais disciplinado, pontual, atencioso, obediente e confiável.

Infelizmente, hoje existem muitos casos em que filhos de Deus, que numa relação de emprego têm um superior cristão, acham que podem se equiparar ao seu chefe. Pretendem ter direito de decisão, sentem-se como se fossem pequenos chefes e acham que agora possuem direitos especiais.

Ser “escravo de Cristo” significa que agora ele também se tornou útil no sentido espiritual, em relação ao reino de Deus, e que tem uma importante tarefa a cumprir. Ele não cumprirá apenas suas obrigações diárias, mas poderá também participar das orações, ajudar a propagar o evangelho e servir de apoio espiritual.

Poderíamos resumir tudo isso com os versículos de Efésios 6.5-9: “Escravos, obedeçam a seus senhores terrenos com respeito e temor, com sinceridade de coração, como a Cristo. Obedeçam-lhes, não apenas para agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus. Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como servindo ao Senhor, e não aos homens, porque vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre. Vocês, senhores, tratem seus escravos da mesma forma. Não os ameacem, uma vez que vocês sabem que o Senhor deles e de vocês está nos céus, e ele não faz diferença entre as pessoas.” — Norbert Lieth

Compartilhe: 

Norbert Lieth nasceu em 1955 na Alemanha, sendo missionário na América do Sul entre 1978 e 1985. Casado, tem 4 filhas. Hoje faz parte da liderança da Chamada da Meia-Noite em sua sede, na Suíça. O ponto central de seu ministério é a palavra profética, sendo autor de diversos livros e conferencista internacional. Ele estará presente no 22º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética, organizado pela Chamada.

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança