Deus se arrepende?

Norbert Lieth

Pergunta: “Há alguns dias o tema da pregação no culto foi o Dilúvio. No fim, nosso pastor perguntou à igreja o que poderíamos concluir das palavras de Gênesis 8.21: “Sentiu o Senhor... em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem;... nem tornarei mais a ferir todo vivente, como acabo de fazer”. Uma passagem paralela seria Gênesis 6.7, em que Deus diz que se arrependeu de ter feito o homem. Diante da pergunta do pastor, um importante ancião da igreja levantou-se e respondeu que também Deus cometia erros! Seu tom era indiferente, como se fosse tranqüilizador o fato de Deus ser tão “humano” e parecido conosco nesse ponto. Tenho certeza de que ele falava sério, como se Deus realmente tivesse sido forçado a reconhecer que cometera uma bobagem e agira de forma precipitada e em ira descontrolada. Para mim essa afirmação é totalmente inaceitável, não posso conviver com isso! Como poderíamos confiar em um Deus que comete erros?! Onde mais Ele teria cometido erros, ou onde os cometerá? Talvez também haja erros na Escritura Sagrada, mas onde? Talvez o Gólgota tenha sido um erro? Não seria possível confiar em mais nada, a fé e a igreja não teriam mais sentido. Como vocês entendem a expressão “arrependeu-se o Senhor”, sendo que em Números 23.19 (também em 1 Samuel 15.29) está escrito: “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa”?”

Resposta: O trecho que diz que Deus se arrependeu está em Gênesis 6.5-6: “Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração”.

A palavra hebraica para “arrepender-se” não pode ser entendida como arrependimento ou reconhecimento de erro da parte de Deus. Isso fica claro em Números 23.19: “Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa. Porventura, tendo ele dito, não o fará? ou, havendo falado, não o cumprirá?”.

A palavra “naham” (arrepender) tem o significado básico de “ter compaixão” ou “lamentar”. Por isso, o estudioso judeu Martin Buber traduziu o versículo desta forma: “Lamentou-se ele de ter feito o homem sobre a terra, e angustiou-se em seu coração”. O sentido geral é que Deus sofre junto conosco quando precisa nos castigar. O Todo-Poderoso não gosta de punir, isto o angustia, Ele o lamenta, mas precisa agir assim por causa de Sua santidade e justiça. Por isso, o arrependimento de Deus deve ser entendido como misericórdia, como indicação da impossibilidade de suportar a situação pecaminosa gerada pelo homem, que exige a retirada do Seu favor.

Portanto, o texto não expressa que Deus esteja descrevendo sua ação como um erro, pois Ele continua tendo razão em tudo o que faz (Jr 12.1). Na verdade, Ele lamenta que o homem se feche ao propósito do Seu amor. É dessa forma que esse “arrependimento de Deus” nos permite ver o que passa em seu coração. (Norbert Lieth)

Norbert Lieth é Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Norbert Lieth será um dos preletores do 20º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética — 24 a 27 de Outubro de 2018 | Águas de Lindóia | SP
Participe desse evento que terá o tema «A Fidelidade de Deus» Inscreva-se

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança