Conhece Rebmann e Kottwitz?

Norbert Lieth

Temos bons motivos para conhecer e admirar Hudson Taylor, C. H. Spurgeon, Charles Wesley ou David Livingstone, mas será que você também conhece os senhores Rebmann e Kottwitz? Eis aqui uma retrospectiva de dois “heróis do Evangelho”.

Você conhece Johannes Rebmann? É um missionário alemão que viajou no Século XIX de Baden-Württemberg para a África. Em 1848, ele descobriu o Monte Kilimanjaro, de 6.000 metros de altura e pico coberto de neve. Os geógrafos europeus riram da sua notícia: “Ora, montanhas com neve no Equador!” Seria mais uma demonstração da ingenuidade dos missionários. O bom homem teria caído na conversa dos nativos. Mais tarde, um explorador secular foi soterrado pela neve no Kilimanjaro. As risadas na Europa cessaram. Rebmann viveu por 29 anos com os africanos. Com grande paciência e muito amor ele os ensinou. Sua esposa morreu por lá e ele quase ficou cego. Finalmente, depois de muitas dificuldades, alguns nativos abriram o coração e se formou uma pequena igreja cristã. Quando Rebmann retornou à Alemanha, ele pôde dizer: “O cristianismo lançou raízes na África Oriental”. Rebmann era um homem na videira de Jesus [N. do T.: em alemão, o nome Rebmann significa de fato “homem da videira”].

Certamente você conhece o “pai dos órfãos” de Bristol, Georg Müller. Mas você também conhece o Barão de Kottwitz? Ele viveu em Berlim, alguns anos antes de Rebmann. Na época, a cidade pertencia à Prússia. Em 1806, a campanha da conquista de Napoleão trouxe grande carência para o país. O barão comprou então um velho quartel na Praça Alexander, chamado de “Cabeça de Boi”, onde ofereceu abrigo a desempregados, idosos expatriados, crianças abandonadas e estudantes carentes.

Seu lema era “enxugar lágrimas”. Por algum tempo, também Johann Heinrich Wichern, que mais tarde fundaria a “Missão Interna” (uma iniciativa missionária nas igrejas da Alemanha), morou com ele. Em seu diário, ele testemunhou sobre Kottwitz: “Ó homem inigualável, tão humilde [...], tão cheio de alegria divina. Senhor, concede-me que eu me torne assim”.

O filósofo alemão Johann Gottlieb Fich­te disse certa vez a Kottwitz: “A criança ora; o homem quer”. A que o barão respondeu: “Senhor Professor, preciso cuidar diariamente de 600 pessoas e muitas vezes não sei de onde tirar o pão para elas. Aí não tenho outro recurso senão orar”. Fichte retrucou: “Senhor Barão, até aí a minha filosofia não chega”. Quando, aos 52 anos, o filósofo estava moribundo, ele se dirigiu ao Barão Kottwitz – ao homem que sabia orar – e lhe pediu que assumisse a tutoria do seu filho.

Rebmann e Kottwitz: dois nomes que representam dedicação ao Senhor. Dois homens que se colocaram à disposição do Senhor, cada um a seu modo. Isto nos diz algo? O que o nosso nome representará? Deus tem suas luzes em toda parte, por menos conhecidas que sejam. Cada luz em seu lugar, não importa se grande ou pequena: todas juntas iluminam o mundo. Esta é a incumbência da Igreja de Jesus. – Faça sua luz brilhar! — Norbert Lieth

Norbert Lieth é Diretor da Chamada da Meia-Noite Internacional. Suas mensagens têm como tema central a Palavra Profética. Logo após sua conversão, estudou em nossa Escola Bíblica e ficou no Uruguai até concluí-la. Por alguns anos trabalhou como missionário em nossa Obra na Bolívia e depois iniciou a divulgação da nossa literatura na Venezuela, onde permaneceu até 1985. Nesse ano, voltou à Suíça e é o principal preletor em nossas conferências na Europa. É autor de vários livros publicados em alemão, português e espanhol.

Norbert Lieth será um dos preletores do 19º Congresso Internacional Sobre a Palavra Profética — 18 a 21 de Outubro de 2017 | Águas de Lindóia | SP
Participe desse evento que terá o tema «Venha o Teu Reino! Para Todo o Sempre» Inscreva-se

Veja artigos do autor

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança