Castelo Forte é Nosso Deus

Siegfried Leferink

Muitos conhecem o início desse hino de Martinho Lutero, que ele compôs em meio à sua luta pelo evangelho. “Castelo forte é nosso Deus, espada e bom escudo. Com seu poder defende os seus, em todo transe agudo.” Esse hino se refere ao Salmo 46, que inicia assim: “Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade”.

Não sei qual é a situação em que você se encontra agora. Talvez você diga: “Estou tão cansado, tão esgotado. Estou tão desesperado e triste...”. Deus deseja segurar a sua mão e dirigi-lo ao ponto em que você aprenderá a conhecer ele melhor. O Salmo 46.10 diz: “Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!”. Para tanto, porém, é necessário que, antes de qualquer coisa, estejamos calmos diante de Deus. Assim ele poderá falar conosco e, quando ele fala, tudo fica diferente. O Salmo 46 apresenta três coisas importantes:

Deus é nosso refúgio!

Isso significa que ele é nossa proteção diante de perigos. Os exércitos assírios estavam cercando Jerusalém naquela ocasião. Apesar desse imenso perigo, o salmista escreveu: “Há um rio cujos canais alegram a cidade de Deus, o Santo Lugar onde habita o Altíssimo. Deus nela está! Não será abalada! Deus vem em seu auxílio...” (v. 4-5).

A proteção de Jerusalém não estava em seus muros, mas no próprio Deus! O pastor inglês Spurgeon comentou isso: “Como seria possível destruir uma cidade se é impossível derrotar o seu Rei? A presença de Deus é melhor do que qualquer mecanismo de defesa”.

O Senhor está conosco! Isso deve nos reanimar e proporcionar nova esperança. Onde Deus estiver, ali haverá paz. Onde Deus estiver, ali não precisamos temer. Também você, em suas difíceis circunstâncias de vida!

Deus é nossa força!

Apenas o refúgio não é suficiente, porque também necessitamos de força para podermos resistir às adversidades. Não somente força exterior, mas também a interior é necessária, pois não nos sentimos afetados pela situação em nosso mundo?

Vejamos a promessa de Jesus. Ele diz: “Vocês ouvirão falar de guerras e rumores de guerras, mas não tenham medo...” (Mateus 24.6). Em certa medida, na verdade não nos resta outra coisa além de permanecer calmo diante de Deus. Podemos, sim, orar ao Pai para que ele conceda forças ao nosso ser interior. Quantas vezes nos sentimos fracos e desamparados! No entanto, uma das leis básicas de Deus é que somos fortes apenas quando nos conscientizarmos da nossa plena fraqueza. Qual é a razão disso? Quando estamos em dificuldades, corremos o risco de buscar recursos errados. Ficamos inseguros e acabamos fugindo em uma atividade errada. O medo é um mau conselheiro. Deus, porém, diz: “Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!” (v. 10). Ele quer lutar. Ele quer estar ao nosso lado. Lembremos o maravilhoso livramento que Israel teve. Em Êxodo 14.13-14 Deus diz: “Não tenham medo... O Senhor lutará por vocês; tão somente acalmem-se”.

Deus é nosso auxílio!

É ele quem nos apoia em meio às diversas dificuldades. Nosso Deus é o auxílio que tanto precisamos. 2Crônicas 15.4 relata: “Mas em sua angústia eles [o povo de Israel] se voltaram para o Senhor, o Deus de Israel; buscaram-no, e ele deixou que o encontrassem”. Deus permite que o encontremos justamente ao enfrentarmos problemas.

Às vezes demoramos muito para nos lembrarmos de Deus. Porém, há muito tempo ele já está à espera que o procuremos. Alguns até dizem: “Agora só a oração pode ajudar!”. Será que conseguimos aprender a não nos cansarmos sozinhos? Afinal, Deus é o auxílio nas dificuldades! Ele não quer ser apenas o “serviço de emergência”. Ele espera que nos voltemos a ele, de todo o coração, em qualquer situação da vida. Que tal colocá-lo como o primeiro recurso, e não apenas o último? Posso até compreender quando achamos que Deus pode chegar quando já for muito tarde. O salmista, no entanto, teve a experiência de que Deus pode demorar a chegar, mas nunca chega tarde demais.

É possível que tenhamos que esperar por mais uma noite, mas o Senhor certamente chegará com a sua ajuda! E assim Deus fala também agora nesta sua situação: “Com licença! Deixe que eu tome conta da situação!”. E então você pode ter certeza: nas mãos e aos cuidados dele, o seu caso está no melhor lugar! Desejo, de todo o coração, que você possa ter essa maravilhosa experiência com o Senhor! — Siegfried Leferink

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança